Taça da Liga

Braga diz que pode partilhar favoritismo com o F. C. Porto para a final

Braga diz que pode partilhar favoritismo com o F. C. Porto para a final

Micael Sequeira, adjunto do treinador Rúben Amorim no Sporting de Braga, afirmou, esta sexta-feira, na antevisão à final da Taça da Liga frente ao F. C. Porto, que a equipa minhota "preparou muito bem o jogo" e "partilha o favoritismo".

Na impossibilidade de Rúben Amorim falar aos jornalistas, foi o adjunto Micael Sequeira que deu a cara para lançar a partida deste sábado (19.45 horas, no Municipal de Braga) frente aos dragões e começou por dizer que não houve mudanças nos planos. "O que podíamos fazer já o fizemos durante a semana, preparamos muito bem o jogo, estamos confiantes, obviamente contando com um F. C. Porto fortíssimo", disse.

Quando confrontado a recordar a final da Taça da Liga entre os dois clubes, em 2012/13, Sequeira olhou para a frente. "Faz parte do passado, amanhã terá outra história e será outro jogo. Preparamos o jogo de uma forma normal, como temos vindo a fazer, não alteramos muito", avançou.

A maior experiência dos jogadores portistas em finais não causa preocupações aos arsenalistas. "Os jogadores do F. C. Porto têm muitas finais, mas isso não terá grande importância, porque amanhã é um jogo diferente, é uma final diferente e acreditamos muito na forma como preparamos o jogo, estamos confiantes, mas não em excesso. Temos de esperar por amanhã para ver o que vai acontecer".

"Nunca iremos entrar favoritos, apesar de termos ganho o último jogo. Não temos essa mentalidade e nunca nos vamos colocar em bicos de pés, podemos partilhar o favoritismo porque se trata de uma final, mas o jogo anterior não vai ter influência nenhuma. O F. C. Porto vai ser outra vez uma equipa fortíssima, rigorosa coletivamente, com uma organização muito forte. Em termos individuais tem jogadores que podem decidir a qualquer momento, uma equipa muito bem orientada. Portanto, as dificuldades que estamos à espera são exatamente as mesmas e não vai influenciar em nada a preparação para este jogo", assinalou Micael Sequeira, continuando: "Se pensássemos dessa forma, por termos vencido na semana anterior, era o princípio da derrota. Não podemos pensar assim, nem nunca vamos pensar. Estivemos muito focados na preparação para o jogo, recuperamos e agora é preparar da melhor forma até à hora do jogo".

O adjunto explica o porquê de o favoritismo ser partilhado: "Pois estamos numa final e tudo pode acontecer nestes jogos. Temos essa noção, mas temos de esperar e ter confiança e estar esperançados que a nossa forma de jogar, a nossa organização e a forma como preparamos o jogo que nos leve à vitória. Essa é a nossa grande esperança e o nosso grande foco".

Desde que a nova equipa técnica assumiu o comando do Sp. Braga, a equipa ainda não perdeu. "Naturalmente que trabalhar sob vitórias é diferente. Mas desde que cheguei aqui o balneário tem-se mantido sempre com muita ponderação. Os jogadores ganham, têm boas prestações, mas sempre muito controlados emocionalmente. Isso tem sido uma das características que me surpreenderam muito pela positiva. Estamos perante um grupo de trabalho fantástico, muito humilde, que é jovem, está perto de conquistar alguma coisa e quer poder conquistar um troféu e um lugar na história do clube", referiu.

Micael Sequeira reconheceu que o facto de jogarem em casa, não é indiferente. "É uma final, é um jogo diferente, com um sentimento especial, que nos pode levar a ganhar um troféu aqui em casa, perante os nossos adeptos, na nossa cidade, não posso negar", afirmou o técnico adjunto, avançando: "Agora a preparação foi exatamente a mesma, vamos focados no que podemos fazer, o que está lá atrás é passado. Amanhã vamos ter cautelas estratégicas porque o F. C. Porto nos obriga a isso, mas o mais importante vai ser sermos coerentes com a nossa filosofia de jogo, manter a nossa identidade e tomar a iniciativa do jogo e ir à procura do golo, como temos feito nos outros jogos".

A utilização do médio Palhinha (não pôde defrontar o Sporting) a titular ficou a pairar no ar. "Felizmente todas as opções têm dado boas respostas, os jogadores têm estado todos numa boa altura. O caso do Palhinha? Temos de esperar pelo jogo. Irão jogar os que se enquadram melhor para a final, à semelhança do jogo anterior e teremos de esperar pela hora do jogo para ver quem vai jogar. Independentemente de quem jogar temos confiança em todos", referiu o treinador adjunto.

No que ao sistema tático adversário diz respeito, Micael Sequeira anotou que foram preparados "todos os cenários possíveis ", à semelhança do que já tinham feito na semana anterior. "Mas o mais importante, e repito, é mantermos a nossa filosofia, a nossa identidade e procurar jogar da mesma forma que temos jogado. O plano estratégico nunca irá influenciar a nossa forma de jogar", completou.

E finaliza: "É um Braga a jogar em casa, perante os adeptos e temos noção que teremos de ser nós a puxar pelos adeptos, que foram irrepreensíveis no último jogo. Tiveram um comportamento fantástico. Temos de ser nós a puxar pelos adeptos, a ir à procura da vitória e de coisas boas. Os jogadores têm essa mentalidade e consciência de que é a última oportunidade para poderem ganhar este troféu, mas também têm consciência de que as finais ganham-se com muito equilíbrio emocional. Acreditamos que amanhã vamos estar muito equilibrados e não nos vamos deixar influenciar pelo facto de jogarmos em casa e pelo envolvimento que o jogo está a ter na cidade".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG