Jogos Olímpicos

Buracos nas paredes e camas destruídas: a passagem dos atletas australianos por Tóquio

Buracos nas paredes e camas destruídas: a passagem dos atletas australianos por Tóquio

Alguns atletas da Austrálias deixaram um rasto de destruição na aldeia olímpico e provocaram distúrbios no voo de regresso a casa, com relatos de camas destruídas e buracos nas paredes dos quartos.

De acordo com o Comité Olímpico da Austrália, a federação de rugby e de futebol do país estão a investigar os alegações de mau comportamento da equipa masculina destas duas modalidades durante o voo de regresso a Sydney. Segundo aponta a agência de notícias Reuters, os atletas beberam em excesso, recusaram-se a usar máscaras, ignoraram as ordens da tripulação de cabine e vomitaram durante o voo.

Matt Carroll, presidente do Comité Olímpico da Austrália, referiu que "embora não tenha havido queixa formal da companhia aérea, um comportamento inaceitável foi trazido à nossa atenção, tendo levantado a questão diretamente com os membros da federação de rugby e de futebol", acrescentando que "é extremamente decepcionante este tipo de comportamento" e que os membros das federações comprometeram-se a tomar as medidas adequadas.

Também Ian Chesterman, vice-presidente do Comité Olímpico do país afirmou estar "profundamente desapontado" com as ações dos atletas durante o voo, acrescentando que "este comportamento é claramente inaceitável e não atende aos padrões estabelecidos por estas equipas".

Este comportamento aconteceu depois de vários remadores da Austrália terem danificado quartos na aldeia olímpica, enquanto comemoravam o fim das suas competições. Segundo Ian Chesterman, os atletas da modalidade de remo já se desculparam pelos incidentes nos quartos.

"Acho que há maneiras adequadas de libertar o stress e a tensão inquestionáveis durante a presença nos Jogos Olímpicos", referiu o vice-presidente do Comité Olímpico da Austrália, acrescentando que "é completamente impróprio comportar-se de uma maneira que causa transtornos para outras pessoas. Algumas pessoas estão a prejudicar a reputação de uma equipa muito forte".

Ian Chesterman apontou ainda que nenhuma ação disciplinar será tomada e que o dano nos quartos foram "mínimos", pois as paredes frágeis e as camas de papelão facilitaram o seu rompimento.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG