Seleção

Caça aos louros e aos tesouros da bola

Caça aos louros e aos tesouros da bola

Só a presença no Euro 2020 vale 9,25 milhões de euros. Carreira perfeita com vitória na final de Wembley ainda poderá render mais 24,75 milhões. A Federação Portuguesa de Futebol ganhou 137 milhões no século XXI.

Portugal tem dois jogos - esta quinta-feira, no Algarve, com a Lituânia, e domingo, no Luxemburgo - para obter o apuramento direto para o grande torneio europeu das nações. Atreito a atalhos, ao campeão continental sempre lhe restará a alternativa do play-off, regalia do vencedor da Liga das Nações. Seja por que via for, só a presença vale 9,25 milhões de euros, ajuste a somar ao de todas as outras grandes cimeiras do futebol do século XXI, a que Portugal nunca faltou. Aos louros juntaram-se os lucros: desde 2000, os cofres da FPF registaram a entrada de 137 milhões em "prize money".

Entre dez grandes torneios, europeus e mundiais, a que se juntaram a Taça das Confederações de 2017 e a Liga das Nações de 2019, esta disputada em Guimarães e no Porto e concluída com a conquista do segundo grande troféu do palmarés da seleção portuguesa, a FPF foi creditada em exatamente 136,9 milhões de euros, na soma da remuneração de presenças e de prémios de desempenho.

O cheque mais avultado foi, como está bom de ver, o do Euro-2016, que acabou com a vitória de Portugal. O golo de Éder, que derrotou a França na final, permitiu à FPF encaixar os 17,5 milhões de euros que a UEFA tinha destinados ao vencedor do torneio. No total, contando com o prémio de presença (oito milhões), a FPF saiu de França com 25,5 milhões. A recompensa mais próxima foi a do Mundial de 2006, disputado na Alemanha, de onde a seleção orientada por Luiz Felipe Scolari, semifinalista e quarta classificada, saiu com um cheque de 22,5 milhões de euros (4,5 milhões pela presença e 18 milhões pelo trilho desportivo).

Se Portugal chegar ao Euro 2020, este total do século XXI ultrapassará, só com o prémio de presença, os 146 milhões. Mas tem potencial para crescer muito mais, em remunerações desportivas: na fase de grupos, a vitória vale 1,5 milhões e o empate paga 750 mil euros; cada um dos 16 apurados para os oitavos de final levará dois milhões; os quartos de final valem 3,25 milhões e as meias-finais cinco milhões. Quem erguer o troféu na final de Wembley ganha dez milhões. O outro finalista recebe sete milhões.