Portugal-Alemanha

Ajuste de contas para agarrar já os oitavos

Ajuste de contas para agarrar já os oitavos

A equipa das quinas não perde há 12 jogos num Europeu. A última derrota foi com a Alemanha. Germânicos têm a vantagem de jogar sempre em Munique, Portugal anda com a casa às costas.

Portugal defronta este sábado a Alemanha, em Munique, partida em que os germânicos estão mais pressionados por não terem pontuado na primeira jornada. Com a vantagem de ter somado uma vitória, frente à Hungria, a equipa das quinas tem a hipótese de gerir a partida com tranquilidade, explorar o contra-ataque e tentar já hoje somar os pontos necessários para se qualificar para os oitavos de final.

Se no plano mental se encontra melhor, o mesmo não se poderá dizer relativamente ao aspeto físico. Neste Europeu, os germânicos ainda não efetuaram viagens e têm a vantagem teórica de jogar sempre em casa. É, aliás, a única equipa do Grupo F que nunca abandona o seu país. Por seu lado, Portugal anda com a casa às costas: o quartel-general, em Budapeste, dista 3200 quilómetros da Cidade do Futebol, em Oeiras, e foi ainda obrigada, na quinta-feira, a cumprir de avião mais 700 quilómetros entre a capital da Hungria e Munique. Dificuldades torneadas pelo "staff" da equipa das quinas com a escolha da Ilha Margarida, em Budapeste, para o estágio na fase de grupos, local que tem todo o conforto requerido pela comitiva.

No que diz respeito aos minutos dos jogadores das duas seleções ao serviço dos clubes, nesta temporada, Portugal leva ligeira vantagem. No total, realizaram 1208 jogos e totalizaram 90 176 minutos, contra 1200 partidas e 90 824 minutos dos rivais. Uma diferença mínima do ponto de vista físico mas que, ainda assim, pode fazer a diferença.

Sem derrotas há 12 jogos no Campeonato da Europa, Portugal tem uma espécie de ajuste de contas com os germânicos, os autores do último desaire, assinado na fase de grupos do Euro 2012 graças a um golo solitário da autoria de Mario Gómez.

Sem alterações no onze

PUB

Fernando Santos não deve fazer alterações no onze. Apesar das entradas de Rafa e de Renato Sanches terem mexido com o jogo diante da Hungria, o selecionador deve manter uma equipa que lhe dá garantias em termos de experiência. Criticado pela exibição com altos e baixos frente aos magiares, Danilo vai encontrar um adversário que pode favorecer mais as suas qualidades defensivas. Já Bernardo Silva, que esteve também apagado, tem nova oportunidade no ataque.

3900 quilómetros realizados, até agora, pela seleção portuguesa no Euro 2020. A Alemanha não saiu de casa.

648 minutos de diferença na utilização dos jogadores das duas seleções esta época. Portugal mais fresco.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG