Euro2020

Alemanha impiedosa segura Hungria atrevida e sela apuramento sofrido

Alemanha impiedosa segura Hungria atrevida e sela apuramento sofrido

Uma Alemanha impiedosa ao atrevimento da Hungria rendeu, esta quarta-feira, um empate a duas bolas, selando a qualificação germânica para os 'oitavos' do Euro2020 e a despedida dos magiares no quarto e último lugar do Grupo F.

Numa noite de chuva diluviana no Allianz Arena, em Munique, 12.413 espetadores testemunharam a superação do conjunto de Budapeste, que chegou a liderar duas vezes o marcador, com golos de Ádám Szalai, aos 11 minutos, e András Schäfer, aos 68.

Kai Havertz igualou momentaneamente as contas, aos 66, e o recém-entrado Leon Goretzka confirmou o adeus do outsider do "grupo da morte", aos 84, inviabilizando uma "vingança" à medida do milagre de Berna, 67 anos depois da vitória dos germânicos no Mundial de 1954 (3-2), naquele que fora a última partida oficial entre as duas seleções.

A Alemanha, tricampeã europeia em 1972, 1980 e 1996, apurou-se no segundo lugar do Grupo F, com quatro pontos, os mesmos de Portugal, terceiro colocado, que empatou à mesma hora com a França (2-2), líder isolada, tendo a Hungria sido eliminada, com dois.

Depois de ter disputado a primeira fase na Baviera, a "mannschaft" vai discutir na terça-feira a passagem aos 'quartos' com a Inglaterra, no Estádio de Wembley, em Londres, reeditando uma das maiores rivalidades futebolísticas de seleções à escala mundial.

Com Leroy Sané a render Thomas Müller em relação ao triunfo sobre Portugal (4-2), os germânicos até importunaram Péter Gulácsi logo aos quatro minutos, numa incursão de Joshua Kimmich, mas entraram pela terceira vez consecutiva a perder no Euro2020.

PUB

Aos 11 minutos, Loïc Nego entregou na direita a Roland Sallai, que serviu com primor um cabeceamento em mergulho de Ádám Szalai, entre Mats Hummels e Matthias Ginter, deixando em êxtase os adeptos magiares colocados atrás da baliza de Manuel Neuer.

O golo serviu de tónico para a Hungria, com os mesmos titulares do empate frente à França (1-1), suster em bloco baixo a resposta da Alemanha, cuja mobilidade do trio ofensivo raramente conseguia descompor uma intransigente linha de cinco defesas.

Se Kai Havertz cruzou rasteiro sem encontrar correspondência na pequena área, aos 19 minutos, Hummels atirou de cabeça à barra, após canto na direita de Kimmich, aos 21, com Ginter a surgir em posição frontal logo a seguir para rematar à figura de Gulácsi.

Os forasteiros vincaram a sua confiança perante uma abordagem pouco autoritária e até algo complacente da mannschaft, ameaçando de longe por Sallai, aos 39 minutos, e usufruindo da impetuosidade nos duelos para quebrar o ritmo desejado pelos alemães.

O conjunto de Joachim Löw deixava de estar virtualmente eliminado do Europeu com a reviravolta da França sobre Portugal (2-1) logo a seguir ao intervalo, mas nem por isso serenou no reatamento, quando passou a derivar Joshua Kimmich da ala direita para o miolo.

A densa organização dos pupilos de Marco Rossi inviabilizava brechas perto da sua área, à exceção de um disparo frouxo de Kai Havertz, aos 52 minutos, e galvanizou-se mal Roland Sallai abanou o poste, aos 62, num lance aparentemente controlado por Neuer.

Portugal empatava nesse momento em Budapeste (2-2) e a Alemanha voltava a tombar para o último lugar, cenário revertido aos 66 minutos, com Péter Gulácsi a sair em falso a um livre de Toni Kroos e Hummels a tocar de cabeça para a emenda fácil de Havertz.

A "mannschaft" respirava de alívio, mas levou a bola ao centro do relvado e, volvida meia dúzia de passes, recuperou o comando com um tento de András Schäfer, mais uma vez de cabeça, a corresponder à solicitação de Szalai para elevar o dramatismo no Grupo F.

A Alemanha encarava o derradeiro quarto de hora perante uma ténue fronteira entre continuar ou sair de cena e resolveu alargar a frente ofensiva com quatro unidades, incluindo Timo Werner e Thomas Müller, num risco recompensado aos 84 minutos.

De ressalto em ressalto, a bola ficou descoberta à entrada da área e o suplente Leon Goretzka poupou os anfitriões à humilhação, dando a estocada final na resistência da Hungria, que se despediu com o orgulho de ter empatado com alemães e franceses.

Ficha de jogo:

Jogo no Allianz Arena, em Munique, na Alemanha

Alemanha - Hungria, 2-2

Ao intervalo: 0-1

Marcadores: 0-1, Ádám Szalai, 11 minutos; 1-1, Kai Havertz, 66; 1-2, András Schäfer, 68; 2-2, Leon Goretzka, 84

Equipas:

Alemanha: Neuer, Ginter (Volland, 82), Hummels, Rüdiger, Kimmich, Kroos, Gündogan (Goretzka, 58), Gosens (Musiala, 82), Gnabry (Müller, 67), Sané e Havertz (Werner, 67)

Selecionador: Joachim Löw

Hungria: Gulácsi, Négo, Szalai, Orbán, Botka, Fiola (Nikolic, 88), Nagy, Schäfer, Kleinheisler (Lovrencsics, 88), Sallai (Schön, 75) e Szalai (Varga, 82)

Selecionador: Marco Rossi

Árbitro: Sergei Karasev (Rússia)

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Botka (28), Gündogan (29), Sané (61), Szalai (64) e Fiola (66)

Assistência: 12.413 espetadores

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG