Euro2020

Kjaer e Schmeichel elevados a heróis no momento decisivo para Eriksen

Kasper Schmeichel e Simon Kjaer confortaram mulher de Eriksen

Foto Afp

Simon Kjaer e Kasper Schmeichel foram autênticos heróis nos momentos angustiantes que se viveram durante a tentativa de reanimação de Eriksen, que caiu inanimado no relvado durante o jogo com a Finlândia.

Dinamarca - Finlândia, 12 de junho de 2021. Segundo dia do Europeu 2020. As bancadas do Estádio Parken estavam bem compostas, à espera do primeiro jogo do Grupo B, em êxtase. De um lado, estava a experiente e favorita Dinamarca, que até já conseguiu conquistar o título europeu. Do outro, a Finlândia, que se estreava numa fase final. Os ingredientes para mais duas horas de festa estavam reunidos. A bola começou a rolar. Mas eis que chegou o minuto 43.

Christian Eriksen esperava uma simples reposição de bola quando caiu, inanimado. E, a partir do minuto 43, ficámos pequeninos. A alegria deu lugar ao choque. O sorriso deu lugar às lágrimas. O barulho deu lugar ao silêncio. O médio de 29 anos mostrou-nos como a vida é incontrolável e pode mudar de um momento para o outro. De como é um sopro. De como, de repente, nos podemos ver obrigados a lutar por ela.

Mas Eriksen, que felizmente acabou por vencer a luta, mostrou-nos muito mais. Mostrou-nos a solidariedade de uma equipa, equipa essa que, mesmo transtornada, foi buscar forças e fez prontamente um círculo à sua volta, de braço dado, de forma a proteger o companheiro de equipa. Mostrou-nos a força de uma equipa que decidiu regressar ao relvado para jogar, mesmo certamente de rastos, a pedido de Eriksen. Mostrou-nos a humanidade, com os jogadores da Finlândia a afastarem-se durante os momentos de angústia e a aplaudirem os adversários quando o jogo foi retomado. Mostrou-nos de como as profissões ligadas à saúde podem ter um caráter quase lendário. E mostrou-nos a coragem e cabeça fria de quem acabou por também se tornar herói.

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

Sabrina Kvist, namorada de Eriksen

 foto AFP

O que dizer de Simon Kjaer, capitão de equipa, que não só foi o primeiro a chegar perto de Eriksen e a colocá-lo em posição de segurança [de lado], como ainda correu em direção a Sabrina Kvist, companheira de Christian Eriksen, que entrou desesperada para o relvado à procura de respostas, para a apoiar. E de Kasper Schmeichel, que não é capitão mas portou-se como um. O guarda-redes não só também confortou Sabrina - o pai do atleta revelou que Schmeichel correu na direção dela para lhe dizer que Christian estava a respirar, pois ela pensava que ele tinha morrido - como ainda abraçou cada companheiro de equipa antes do jogo reatar, dando especial atenção a Mathias Jensen, que teve a difícil tarefa de substituir Eriksen.

No final, até pode ter ganho a Finlândia. Mas, mais importante do que isso, ganhou Eriksen. Ganharam Simon Kjaer e Kasper Schmeichel. Ganhou a Dinamarca. E ganharam todos.

Relacionadas