Euro2020

Fernando Santos responde a Rossi: "Respeito os motoristas e técnicos de equipamentos"

Fernando Santos responde a Rossi: "Respeito os motoristas e técnicos de equipamentos"

O selecionador nacional respondeu, esta terça-feira, a Marco Rossi e contou o que disse aos jogadores no intervalo do jogo diante da Hungria, quando o jogo ainda estava empatado (0-0).

Portugal entrou com o pé direito no Euro2020, ao conseguir um resultado folgado (3-0) diante da Hungria, em Budapeste, na primeira jornada do Grupo F. Na véspera do encontro, Marco Rossi, selecionador da equipa da casa, considerou que a seleção portuguesa poderia ser treinada "pelo motorista ou pelo rapaz dos equipamentos", tal é a qualidade dos jogadores à disposição de Fernando Santos. E não ficou sem resposta.

"Ouvi isso com toda a serenidade. Tenho um grande respeito por todos os meus colegas. Mas também tenho um enorme respeito por todos os motoristas e pelos técnicos de equipamentos. E digo-vos com toda a franqueza: tenho um orgulho enorme em ser um bom motorista desta equipa, disse Fernando Santos.

Sobre o jogo, o selecionador português afirmou que esperava um adversário "mais subido" e que não foi fácil "encontrar o espaço certo".

"O golo está caro. Fica a sensação que podemos marcar muitos golos sempre, mas no futebol atual os resultados normalmente são um, dois, três golos, no limite, não muito mais que isso. Cada vez mais as equipas têm melhor organização. Acho que Portugal fez um bom jogo, foi uma vitória justíssima. A primeira parte foi muito bem conseguida. A Hungria acabou a defender nos últimos 30 metros. Portugal recuperou muitas vezes a bola, criámos quatro, cinco, seis oportunidades de golo, quatro muito boas. Um golo era fundamental e na primeira parte penso que faltou isso. Criámos as oportunidades mas não conseguimos concretizar, faz parte do jogo", acrescentou Fernando Santos, revelando ainda o que disse aos jogadores durante o intervalo.

"Disse que era preciso manter o coração e a cabeça a funcionar, continuar e aumentar se possível o ritmo e fazer um ajuste ou outro. Houve um período de cinco ou dez minutos de alguma ansiedade, porque o tempo estava a avançar e obviamente queríamos ganhar. Mas a equipa serenou, pegou na bola outra vez, começou a trocá-la. Fizemos algumas alterações para manter o ritmo vivo, aumentar até o ritmo, puxámos o Ronaldo à esquerda para libertar o Rafa. Umas vezes as coisas saem bem, outras vezes não saem tão bem. Quando mexemos é a tentar fazer bem. Os que entraram, entraram muito bem, os que entraram de início também. São três pontos, não mais do que isso. É muito importante passar a fase de grupos para depois entrar no mata mata, como dizia Scolari", concluiu.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG