Dinamarca

Selecionador fala em "experiência traumática" com colapso de Eriksen

Selecionador fala em "experiência traumática" com colapso de Eriksen

O técnico da seleção dinamarquesa, Kasper Hjulmand, realçou que o desfalecimento de Christian Eriksen na partida do Euro2020 frente à Finlândia foi uma "experiência traumática" e que afetou emocionalmente os futebolistas.

"Os jogadores quebraram, foi uma experiência traumática", afirmou em conferência de imprensa o selecionador dinamarquês, de 49 anos, salientando que esta foi uma noite "muito difícil":"O mais importante na vida são os relacionamentos, as pessoas próximas, a família e os amigos".

Kasper Hjulmand explicou que a UEFA deu duas opções, depois de o jogo ter ficado suspenso por uma hora e meia após o grave episódio clínico com Eriksen: ou retomar o jogo este sábado aos 43 minutos ou jogar o resto no domingo ao meio-dia.

E foram os jogadores, depois de terem a certeza de que Eriksen estava bem, que escolheram a primeira opção, porque não se consideravam capazes de esperar pelo dia seguinte e preferiram "passar por um mau bocado o mais cedo possível", revelou Hjulmand.

"É claro que não se pode jogar com esses sentimentos. É incrível que os jogadores tenham jogado no segundo tempo e fossem a melhor equipa. Não se pode jogar um jogo deste nível depois de ver um dos melhores amigos lutar pela vida", disse.

PUB

Hjulmand, emocionado, sublinhou que não pode elogiar a equipa "o suficiente" e está "muito orgulhoso" da forma como os jogadores "cuidam uns dos outros" e ousaram mostrar os sentimentos.

"É uma noite difícil, todos os nossos pensamentos estão com ele e a família. Christian é um dos melhores jogadores do mundo, mas ele ainda é melhor como pessoa", destacou, numa conferência de imprensa em que nenhum jogador dinamarquês compareceu.

O treinador dinamarquês revelou que alguns jogadores não se sentiam fortes o suficiente para jogar, e que lhes deu liberdade de escolha. Segundo adiantou, no final do jogo, todos os futebolistas queriam conversar com as famílias.

O capitão Simon Kjaer, que foi substituído aos 63 minutos, foi um dos mais afetados, reconheceu o treinador: "Ele ficou muito afetado, não podia continuar. Eu entendo perfeitamente. Eles são muito bons amigos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG