Futebol

Cristiano Ronaldo: o sacrifício por Portugal "num campo de batatas"

Cristiano Ronaldo: o sacrifício por Portugal "num campo de batatas"

No rescaldo da vitória de Portugal frente ao Luxemburgo, que carimbou a passagem da equipa das quinas à fase final do Euro2020, Cristiano Ronaldo disse que se "sacrificou" pela seleção e lamentou o estado do relvado do Estádio Josy Barthel.

"É sempre importante e um orgulho representar Portugal. A qualificação era o mais importante e estou muito feliz por Portugal ter ganho. É o meu quinto Europeu. E é difícil jogar nestes campos, um campo de batatas. Não sei como é possível seleções com este nível jogarem em campos desta qualidade. Muito mau. O espetáculo não foi bom, mas fizemos um bom trabalho, ganhámos e era isso a prioridade", começou por dizer o capitão da seleção nacional.

Com um lugar garantido no Euro2020 e a possibilidade de revalidar o título europeu, Cristiano Ronaldo disse ainda que "ainda há uma longa temporada pela frente" e não considerou a equipa das quinas uma das favoritas. "Alguns jogadores vão crescer mais, é ir passo a passo. Os candidatos sempre os mesmos, não é pela vitória em 2016 que somos favoritos, mas somos difíceis de bater e vamos para ganhar outra vez. Mas os favoritos são todos os outros".

O craque português esteve no centro da polémica em Itália, depois de não ter reagido bem à substituição na última jornada da liga italiana. Ronaldo justificou a substituição com uma "lesão", revelando ainda ter-se sacrificado não apenas pela equipa de Turim, mas também pela Seleção Nacional, nestes dois jogos de apuramento.

"Tenho jogado limitado nas últimas três semanas. Não houve polémica nenhuma. Tentei ajudar a Juventus. Ninguém gosta de ser substituído mas entendo, porque eu não estava bem. Nestes dois jogos também não estava a 100%. Sacrifiquei-me em prol da equipa. Podíamos ficar de fora do Europeu e sacrifiquei-me também pela seleção. Na minha carreira nunca me lesionei muito, mas pode acontecer. É uma dor que me impede estar a cem por cento, mas tento jogar sempre. Às vezes não dou mais porque não consigo. O clube sabia que eu estava limitado. Mas o mais importante é que ganhámos, que a Juventus está em primeiro e eu vou ficar bem o mais rápido possível".

Danilo, lateral e companheiro de equipa de CR7 na Juventus, disse em entrevista que, caso o capitão português jogasse pela seleção brasileira, a equipa canarinha teria mais cinco mundiais. Questionado sobre as declarações do brasileiro, Ronaldo sorriu mas destacou o orgulho de ser português. "Não trocava a minha nacionalidade, tenho muito orgulho em ser português. O Brasil é uma grande seleção, das melhores do mundo, mas conquistei dois títulos por Portugal e não trocaria. Portugal não é das melhores seleções do mundo, não está no top.3, mas respondemos bem a qualquer uma", atirou, não esquecendo o golo 100: "Vai aparecer de forma natural. Os recordes são para bater e eu vou batê-los".

Cristiano Ronaldo voltou, este domingo, a fazer o gosto ao pé pela seleção A. O camisola sete chegou aos 99 golos em 164 internacionalizações por Portugal e está a dez tentos de igualar Ali Daei no trono de melhor marcador internacional.

Recorde o golo do português: