Futebol

Vitali Kutuzov: "Só falava com Ronaldo sobre futebol, as mulheres ficavam de fora"

Vitali Kutuzov: "Só falava com Ronaldo sobre futebol, as mulheres ficavam de fora"

Vitali Kutuzov partilhou o balneário do Sporting com Cristiano Ronaldo, na temporada de 2002/03. Volvidos mais de 15 anos, o antigo avançado bielorrusso expôs as memórias que guarda do internacional português.

"Naqueles dias só falava com Cristiano Ronaldo sobre futebol, as mulheres ficavam de fora das nossas conversas", gracejou Kutuzov, relativamente à faceta de mulherengo muitas vezes colada ao melhor marcador da história da seleção nacional portuguesa.

"Ele tinha um cuidado com o corpo como nunca vi mais ninguém ter. No balneário, ele tirava a camisola e ficava por longos períodos a olhar-se ao espelho. Analisava cada centímetro do corpo, os ombros, abdómen, pernas... Passava muito tempo na Academia, perguntava a toda a gente como poderia ficar mais forte, mas ele não fazia isso para aparecer nas capas das revistas, mas sim porque queria tornar-se num jogador melhor", prosseguiu o antigo avançado bielorrusso.

Na época imediatamente anterior àquela em que até partilhou quarto com Cristiano Ronaldo, nos estágios do Sporting, Kutuzov tinha jogado no AC Milan. E esse facto ajudou a quebrar o gelo entre os dois. O avançado português já mostrava aí um grande interesse relativamente ao campeonato italiano, mas não era a Juventus, clube que agora representa, que mais o fascinava.

"Ele sabia que eu vinha do AC Milan e fazia-me mil perguntas. Perguntava-me sobre Maldini, Costacurta, Inzaghi, Shevchenko e também do centro de treinos de Milanello, que na época era o melhor do Mundo. Queria saber como os campeões daquela equipa treinavam e como progrediam fisicamente. Mas eu não era assim, pensava mais na bola do que no físico", contou ainda Kutuzov, igualmente na entrevista publicada esta terça-feira, no jornal italiano "Gazzetta dello Sport".

O bielorrusso, que fez grande parte da carreira em Itália, assistiu de perto ao primeiro e segundo dos 600 golos por clubes que Cristiano Ronaldo tem no currículo. Foi ele, aliás, que abriu o ativo nessa vitória por 3-0 sobre o Moreirense, a 7 de outubro de 2002.

"Fiz o primeiro golo à meia hora do jogo e, depois, o Cristiano bisou. Mas, mais do que os golos dele, lembro-me que ele ficou louco de felicidade. Confesso, no entanto, que nunca pensei que se tornaria no jogador que é hoje em dia. Via que ele tinha velocidade e uma técnica especiais, mas só mais tarde, quando o vi jogar pelo Manchester United, é que percebi o quão forte se tornou. E, desde então, ele melhorou muito", admitiu Kutuzov.

Imobusiness