O Jogo ao Vivo

Exclusivo

O plano saudita para contratar Cristiano Ronaldo

O plano saudita para contratar Cristiano Ronaldo

O avançado português é pretendido pelo Al-Nassr. Arábia Saudita tem em curso um plano para renovar a imagem do reino a nível desportivo, social e económico. CR7 faz parte da estratégia.

Cristiano Ronaldo tem em mãos uma proposta astronómica, que pode fazer dele o futebolista profissional mais bem pago do planeta, se aceitar o contrato de 500 milhões de euros, por duas épocas e meia, que o Al-Nassr, da Arábia Saudita, lhe fez chegar. Para se ter uma ideia, o contrato proposto ficaria mais caro do que o investimento no Newcastle, adquirido em 2021 por um fundo de investimento público saudita, liderado pelo príncipe Mohammed bin Salman, por cerca de 350 milhões de euros. A confirmar-se, o negócio levaria ainda o contrato do internacional português a valer mais do que a cotação da totalidade dos clubes da liga saudita avaliada pelo Transfermarkt em 343,54 milhões de euros.

Desde que a Arábia Saudita lançou o plano "Visão 20/30", os investimentos em vários setores têm-se intensificado e o futebol é uma das apostas para levar ao Mundo uma imagem moderna do país. Em 2021, a compra do Newcastle foi uma das primeiras operações financeiras e uma das que teve maior impacto a nível mundial e insere-se na política definida pelo reino. Na entrevista à Skysports, Abdulaziz bin Turki Al-Faisal também foi confrontado com investimentos em clubes como Manchester United e Liverpool, à venda, e não fechou portas. "Só iríamos beneficiar com investimentos desses, pelo que os investidores privados são sempre bem-vindos. São negócios desses que nos permitem desenvolver parcerias como as que já temos com o Newcastle", respondeu. "O esforço que estão a fazer para tentar trazer Ronaldo é sinónimo de poderio financeiro, mas também vai no sentido da competitividade que vão acrescentando à liga a cada ano. Fora da Europa, a liga saudita já é uma das mais vistas", comentou, ao JN, Pepa, treinador do Al-Tai, da liga saudita.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG