Futebol

Carlos Carvalhal diz que ausência do banco é uma desvantagem para o Braga

Carlos Carvalhal diz que ausência do banco é uma desvantagem para o Braga

O treinador Carlos Carvalhal, expulso na ronda anterior, considerou, nesta sexta-feira, ser uma desvantagem para o Sporting de Braga não estar presente no banco no jogo com o Sporting, no sábado, da 19.ª jornada da Liga de futebol.

"Se a presença do treinador é importante, tenho que dizer que sim [que é uma desvantagem]. Se a presença dos treinadores não fosse importante, não estavam no banco. Mas temos as nossas estratégias, na nossa equipa técnica a liderança é muito repartida pelos outros treinadores adjuntos, estamos muito identificados", disse.

O técnico foi expulso na receção ao Marítimo, na última jornada (derrota por 1-0), mas Carlos Carvalhal afirma manter "tudo o que disse a seguir ao jogo" e sentir-se injustiçado pelo jogo de castigo que não lhe permite estar em Alvalade.

"Não fui insultuoso, nem mal-educado com ninguém, disse apenas ao árbitro para equilibrar o jogo. Sinto alguma injustiça, porque sempre pautei a minha vida desportiva pelo respeito pelos outros, pela educação e pela forma profilática [na relação] com a arbitragem desde que voltei ao futebol português, nunca fiz um comentário sobre as arbitragens", disse.

Carlos Carvalhal entende que merecia "uma 'almofada'" por parte do árbitro e que "não merecia sequer ser expulso do jogo, quando muito uma advertência ou um cartão amarelo".

O treinador notou que "jogar no campo do campeão nacional é o jogo mais difícil da época, ou dos mais difíceis".

"O Sporting está a atravessar um bom momento, tem tido excelentes resultados, não perdeu ainda em casa para o campeonato e estamos à espera de dificuldades de uma equipa que interpreta bem todos os momentos do jogo. Nós vamos com a ambição de sempre: não nos atemorizarmos com o adversário, respeitá-lo, mas jogar com uma ambição muito grande e lutar muito pelos três pontos", disse.

PUB

O técnico abordou o saldo negativo com os 'leões', lembrando a "dimensão histórica" de Benfica, Sporting, FC Porto no futebol português para explicar o facto do histórico não ser favorável.

"Essas três equipas normalmente têm uma supremacia sobre as outras, o Braga tem tentado aproximar-se, cumpre-nos continuar esse equilíbrio e para isso temos que tentar vencer o jogo", disse.

Nas duas últimas jornadas, disputadas em casa, o Sporting de Braga não foi além de um empate (2-2 com o Famalicão) e uma derrota (1-0 com o Marítimo) e, nos últimos oito jogos oficiais, os minhotos averbaram quatro derrotas, dois empates e duas vitórias.

Para Carlos Carvalhal, "basta uma derrota para haver preocupação".

"Temos que interpretar o que aconteceu nos jogos, fizemos tudo o que estava ao nosso alcance para ganhar. Temos de corrigir os erros que cometemos e, acima de tudo, tentar ser muito eficazes. Temos alternado jogos em que marcámos muitos golos com outros em que criámos as mesmas oportunidades, mas os resultados ficam a zero. Temos que incidir mais no capítulo da eficácia", reforçou.

Questionado por uma eventual menor solidez defensiva do Sporting nos últimos tempos, Carlos Carvalhal considerou essas situações como pontuais e elogiou precisamente esse setor 'leonino'.

"Uma das mais-valias do Sporting é a sua consistência defensiva, foi a base do Sporting campeão e deste trajeto espetacular, quase notável porque roça a perfeição. É uma equipa que sofre poucos golos, o ano passado foi a que menos sofreu e, este ano, julgo que é também", disse.

David Carmo está a treinar sem restrições depois de uma paragem de quase um ano devido a uma grave lesão, mas o central ainda não é opção para o treinador.

"Foi a primeira semana depois de 300 e tal dias, não tem as condições mínimas de competir", disse, ao contrário de Moura, que regressa após recuperar de covid-19.

Paulo Oliveira, castigado, e Tiago Sá e Yan Couto, infetados com o SARS CoV-2, são baixas certas para Carlos Carvalhal, que, em sentido contrário, já pode contar com Moura, Bruno Rodrigues e Al Musrati.

Carlos Carvalhal considerou que os regressos de Castro e, em breve, de David Carmo podem ser considerados como os reforços da equipa no mercado de inverno, tal como a recuperação total de "pequenos problemas físicos" de Galeno e Iuri Medeiros, mas voltou a frisar a aposta nos mais jovens.

"Nesta convocatória vão estar vários da formação, é uma aposta do clube e é o caminho do Sporting de Braga, que vai continuar a lutar por ganhar os jogos todos. Não me vou escudar nos jovens quando houver uma derrota", disse.

Sporting de Braga, quarto classificado, com 32 pontos, e Sporting, segundo, com 47, defrontam-se a partir das 20:30 de sábado, no Estádio José Alvalade, em Lisboa, jogo que será arbitrado por Hugo Miguel, da associação de Lisboa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG