Futebol

Carvalhal: "Paulinho? Braga tem de realizar 15 milhões de euros todos os anos"

Carvalhal: "Paulinho? Braga tem de realizar 15 milhões de euros todos os anos"

Carlos Carvalhal voltou à janela de mercado de janeiro e comentou a saída de Paulinho para o rival Sporting. O treinador do S. C. Braga também recuou no tempo para falar do S. C. Braga-Benfica.

"A saída de Paulinho era inevitável. O presidente António Salvador tem tido uma gestão muito rigorosa. O S. C. Braga tem de vender e realizar 15 milhões de euros todos os anos para ser sustentável, para ser saudável financeiramente", explicou o treinador do S. C. Braga, esta quinta-feira, no programa Grande Área, da RTP 3.

E prosseguiu, depois, no tema: "Estamos num período de pandemia, não sabemos o que vai acontecer no próximo mercado, a saída do Paulinho era inevitável. Foi uma transferência absolutamente fantástica. Desportivamente, com saída de Paulinho e a lesão do Iuri levámos um rombo no porta-aviões. Mas fomos capazes de nos reinventar. Há, por exemplo, um Abel Ruiz antes e outro depois do Paulinho. O Abel transformou-se, ganhou confiança".

Ainda sobre a janela de mercado de janeiro, Carvalhal confirmou que David Carmo "esteve com um pé no Liverpool", tecendo bastantes elogios ao jovem defesa central. "No último dia de mercado estava à procura de alternativas", revelou. Carmo, recorde-se, acabou por ficar no plantel.

Carlos Carvalhal também recuou ao S. C. Braga-Benfica, cujo resultado sorriu aos encarnados (0-2) na pretérita jornada da Liga, e comentou as críticas dirigidas à equipa de arbitragem pelo presidente dos minhotos, António Salvador.

"Não falo nem irei falar de arbitragens. Se o meu presidente levantou a voz é porque entendeu que os bracarenses sentiram alguma frustração. Não discordo absolutamente de nada", atirou o treinador do S. C. Braga.

Para Carvalhal "é difícil vaticinar" se o S. C. Braga teria vencido o Benfica se Fransérgio não tivesse sido expulso ainda na primeira parte. "O jogo estava equilibrado, agarrado no meio-campo", analisou.

PUB

O treinador garantiu que a eventual conquista do título nunca foi tema no seio do grupo arsenalista: "Definimos apenas que queríamos ir o mais longe possível em todas as competições. Temos abordado cada jogo como se fosse o último da nossa vida. Focamos no jogo e não nas consequências". E acrescentou: "Só uma hecatombe poderá fazer com que o Sporting não seja campeão".

Ainda num plano mais desportivo, Carvalhal explica que "o S. C. Braga nunca se adaptou a adversário nenhum" e que "nunca mudou de sistema", reconhecendo, porém, que "alguns adversários adaptam-se" à equipa que dirige.

O treinador também deixou uma boa notícia aos adeptos dos guerreiros do Minho: "O Rui Fonte está à bica para voltar à competição".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG