Desporto

Caso dos "vouchers" do Benfica aos árbitros foi arquivado

Caso dos "vouchers" do Benfica aos árbitros foi arquivado

A Liga de Clubes arquivou o processo de inquérito que pretendia averiguar as acusações de Bruno de Carvalho feitas ao Benfica sobre alegadas prendas oferecidas aos árbitros antes dos jogos das águias no Estádio da Luz.

A Comissão de Instrução e Inquéritos da Liga de Clubes deliberou, esta quarta-feira, o arquivamento do processo relativo ao caso dos "vouchers", denunciado por Bruno de Carvalho. O presidente do Sporting acusou o Benfica de oferecer prendas aos árbitros nos jogos disputados no Estádio da Luz.

No comunicado, o organismo considera que "no caso em apreço, uma caixa com a figura de Eusébio da Silva Ferreira, com uma réplica da camisola por si usada, ofertadas aos agentes de arbitragem, de forma generalizada e indiferenciada, no final dos jogos em que aquela equipa assumia a condição de visitada, como recordação, não pode deixar de ser vista como tendo cariz de símbolo, de lembrança".

O despacho de arquivamento do processo conclui que "a oferta ingressa no conceito de ofertas de mera cortesia, lembrança entregue por ocasião dos jogos (sempre no final dos mesmos e sempre na presença de delegados da LPFP) a todos os agentes de arbitragem e delegados do LPFP intervenientes, de modo generalizado e indiferenciado e admitido na regulação desportiva vigente".

Também a queixa do Benfica contra as declarações de Bruno de Carvalho, por violarem a honra do seu bom nome e vistas como coação de árbitros tendo em vista jogos futuros, foi arquivada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG