Opinião

Catar, ver ou não ver, eis a questão

Catar, ver ou não ver, eis a questão

A grande questão é decidir se vemos ou não vemos o Mundial. Em boicote a tantas coisas, eu não vou ver. Exceto os jogos de Portugal, não vá o Ronaldo fazer das suas, sermos campeões, e eu teria perdido um título único.

Também, por proximidade, os nossos vizinhos espanhóis. Claro que eu tenho de ver o Brasil, país irmão, pois se as coisas correrem mal a Portugal, quero que ganhem os canarinhos ou La Roja. As seleções dos países islâmicos vão-se esmerar para mostrar que ali o futebol também é rei. Vou ter de assistir também. Quase obrigado, tenho de testemunhar os jogos da Argentina, porque serão os últimos de Messi. A Alemanha pôs a FIFA em tribunal por causa da braçadeira de Neuer, e tenho de os ver, por causa justa. Inglaterra é a sede do meu escritório. Tenho de falar com eles depois dos jogos, assim vou ter de ver os ingleses. Vou também avaliar como se comportam as seleções de treinadores lusos, Irão e Coreia do Sul, só por solidariedade nacional. À parte disto, tenho familiares e amigos emigrados na França, Bélgica, Suíça, Países Baixos, Austrália e Canadá, conto vê-los também, para depois poder brincar com eles. Mas de resto, vou boicotar completamente o Mundial do Catar, porque nesse país cometem-se violações dos direitos humanos. Na Rússia não cometem nenhuma violação. Assim que assisti alegremente ao Mundial de 2018. Nem na Argentina de 1978, nem em Espanha, no período pós-Franco. Nem nos Jogos de Berlim 1936, Pequim 2008 ou Sóchi 2014. Aí não houve, nem há violações algumas! Tentem estudar tanto como a Greta Thunberg, pois aos 10 anos ela viu que o problema real é o aquecimento global. O resto, são outros problemas importantes que estão a ser resolvidos paulatinamente. E os restantes são caprichos de classe média-alta, que não conseguindo arrumar o seu próprio quarto, se acham competentes para hipocritamente mudar o Mundo em dois dias, quando na verdade, o que querem mesmo são festas cool, mudar de telemóvel, casa, roupa e carro.

*Presidente da Associação Nacional de Agentes de Futebol

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG