Futebol

CD instaura processos a Conceição, Pepe e J. Marques

CD instaura processos a Conceição, Pepe e J. Marques

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol informou esta sexta-feira ter aberto um processo disciplinar a três elementos do F. C. Porto: ao treinador Sérgio Conceição, ao central Pepe e ao diretor de comunicação Francisco J. Marques. Presidente do Boavista também com processo.

"Na sequência de participações disciplinares apresentadas pelo Conselho de Arbitragem da FPF e da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, sob o enfoque das ofensas à honra ou consideração de agentes de arbitragem através de declarações proferidas a órgãos de comunicação social e redes sociais, bem como em newsletter de clube", refere o comunicado do CD.

Em causa estarão as declarações proferidas após o encontro com o Belenenses, no Estádio Nacional, a 4 de fevereiro, que terminou empatado sem golos e que ficou marcado pela lesão de Nanu, que teve de ser transportado de ambulância para o hospital após ter sofrido uma concussão cerebral na sequência de um choque com o guarda-redes Kritciuk.

Na altura, o técnico portista criticou a escolha do árbitro Fábio Veríssimo e defendeu que os dragões foram prejudicados. "Hoje fomos enganados. Hoje fomos roubados aqui", afirmou Sérgio Conceição, na "flash-interview" a seguir ao jogo.

Também o capital portista, o central Pepe, fez considerações sobre a arbitragem nesse jogo, queixando-se de não ter sido assinalado penálti no lance da lesão de Nanu.

Por seu lado, nesse dia, Francisco J. Marques utilizou a rede social "Twitter" para apontar as falhas de Fábio Veríssimo. "Um dia vão matar um jogador do F. C. Porto mas não vai acontecer nada, porque Fábio Veríssimo vai achar legítima defesa. E o que dizer do critério disciplinar? Nem todos são Palhinhas", escreveu o responsável pela comunicação dos azuis e brancos.

PUB

O Conselho de Arbitragem da FPF, bem como a Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, já tinha apresentado queixa contra o treinador portista, pelo que o processo disciplinar já era algo esperado.

Processo a presidente do Boavista

A alçada do CD também se estende ao presidente do Boavista, Vítor Murta, pelas declarações após a derrota com o Gil Vicente (2-1), com críticas duras ao árbitro Hélder Malheiro, tendo o processo disciplinar seguido para a Comissão de Instrutores da Liga.

"O processo surge na sequência de participações disciplinares apresentadas pelo Conselho de Arbitragem da FPF e da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, sob o enfoque das ofensas à honra ou consideração de agentes de arbitragem através de declarações proferidas a órgãos de comunicação social", pode ler-se no comunicado.

Neste caso, o árbitro apresentou queixa-crime contra Vítor Murta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG