Futebol

Cérebro, cebolada e Ferrari: a rivalidade entre Jorge Jesus e Rui Vitória

Cérebro, cebolada e Ferrari: a rivalidade entre Jorge Jesus e Rui Vitória

As trocas de palavras entre Jorge Jesus e Rui Vitória alimentaram as conferências de imprensa de 2015 a 2018. Foram muitas as farpas lançadas entre os dois treinadores, que criaram uma rivalidade além dos clubes. Agora, passados três anos do último confronto, voltam a encontrar-se na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, onde o Benfica enfrenta o Spartak Moscovo.

Quando Jorge Jesus saiu para o Sporting e Rui Vitória ocupou o seu lugar no comando do Benfica em 2015, começou uma rivalidade entre os dois técnicos que "aqueceu" muitas vezes a época 2015/2016. No jogo da Supertaça, Jorge Jesus deu início ao bate-boca com o treinador das águias.

"O que tenho de fazer é dar os parabéns ao treinador do Benfica, porque é inteligente, manteve as coisas como estavam, e que deram vitórias. As ideias que estão lá são todas minhas. O Benfica não mudou nada, zero. Vou jogar contra uma equipa com as minhas ideias. Cheguei ao Sporting e mudei tudo. O cérebro já não está lá, o treino não vai ser o mesmo, mas tudo aquilo continua", referiu Jesus. Rui Vitória não quis prestar atenção mas, após alguma insistência da comunicação social, elevou o tom de voz para explicar que responde e fala com quem quer, quando quer.

Na sequência do encontro para o campeonato entre os dois rivais, Rui Vitória entrou para a antevisão pronto para jogar o jogo psicológico do adversário. "Vai jogar uma equipa, que somos nós, contra 11 jogadores, que não sei se será uma equipa, que é o Sporting". Os comandados de Jorge Jesus venceram por 3-0 em pleno Estádio da Luz e o técnico não esqueceu as palavras de Vitória. "É fácil depois de ganhar responder a Rui Vitória. Hoje, podíamos ter ganho por mais. O Benfica não teve uma oportunidade de golo. Era fácil pôr o Rui Vitória deste 'tamanhinho', mas não ponho. Vou respeitá-lo".

Umas semanas depois, em jogo a contar para a Taça de Portugal, Rui Vitória queixou-se, após uma derrota por 2-1, que não queria ser "comido de cebolada". "Ser bom não é ser bonzinho. Já são três vezes que o Benfica joga e é prejudicado em penáltis que são claros. Já chega. É a tática do barulho e eu não quero ser comido de cebolada". O técnico dos leões respondeu ao dizer que Vitória não tinha motivos de queixa na Supertaça, nem nos 3-0 na Luz, e muito menos neste encontro da Taça, visto que "foi limpinho, limpinho".

PUB

Na sequência da vitória do Sporting sobre o F.C. Porto em 2016 por 2-0, Jesus sublinhou que eram colocadas muitas questões a Lopetegui, na altura treinador dos dragões, mas que via "tantos muito mais atrás e nunca lhes fazem essas perguntas", fazendo referência ao Benfica. Rui Vitória atacou e disse que "há dois treinadores obcecados pelo Benfica". "Mas eu sou só pelo Benfica, tenho caráter e aí não mudo".

Jorge Jesus voltou a responder e desta vez com uma afirmação forte. "Como não o qualifico como treinador, logo não sou mau colega. Para ser treinador ele tem de ser muito mais. Para conduzir um Ferrari é preciso ter andamento para ele, vamos ver se aquele Ferrari continua a andar".

Vitória respondeu à letra abordando o percurso de Jesus como técnico. "Agora, os treinadores em Portugal, em concreto do treinador do Sporting, antes de chegar ao Benfica teve 20 anos de carreira onde andou a ganhar algumas vezes e a perder outras, a ser despedido umas vezes e contratado outras. Com a idade que eu tenho ele se calhar andava a lutar pela subida de divisão na 2.ª Liga"

"Se hoje considero-me um treinador de topo, porque me considero, é derivado ao meu percurso de vários anos. Naquelas equipas onde andava também conquistava os meus objetivos. Depois fui para outras melhores, conquistei a Intertoto, fui à Europa, fui para o Braga. Há outros que também começaram no Vilafranquense, no Fanhões, no Alcochetense, mas ganhavam...bola. Esta é diferença de uns para os outros".

Confronto entre os dois treinadores

Enquanto foram treinadores dos dois gigantes de Lisboa, defrontaram-se em oito ocasiões. Jesus venceu três vezes (nos primeiros três jogos contra o Benfica em 2015/2016), Vitória ganhou duas e empataram três. A nível de golos o Sporting marcou dez, o dobro dos cinco marcados pelo Benfica.

Comparando as primeiras três épocas dos dois treinadores ao serviço do Benfica, Rui Vitória tem melhores números em quase todas as áreas. Tem maior média de golos por jogo (2,18 contra os 2,15 de Jesus) e sofreu menos golos por jogo (0,85) que o anterior técnico (0,91). Rui teve uma percentagem de vitórias apenas no campeonato de 75,89%, ligeiramente superior aos 75,54% de Jesus,

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG