Futebol

"Chicotadas psicológicas": associação de treinadores questiona competência dos dirigentes

"Chicotadas psicológicas": associação de treinadores questiona competência dos dirigentes

O presidente da Associação Nacional de Treinadores de Futebol, José Pereira, defendeu, nesta sexta-feira, que "a competência dos dirigentes" nacionais está em causa face ao elevado número de despedimentos de treinadores na Liga.

À 18.ª jornada registam-se 11 mudanças de treinadores, situação que preocupa o presidente da Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF), levando-o a questionar as opções de quem lidera as equipas.

Para José Pereira, o número de trocas esta época "preocupa toda a gente", até porque "os clubes não ficam favorecidos por isso".

"Estas alterações constantes diminuem a competência das equipas e dos clubes", disse, nesta sexta-feira, à agência Lusa, em Leiria, o presidente da ANTF, considerando não existir "o devido cuidado" na seleção de responsáveis técnicos.

José Pereira acredita que nos processos que levam às denominadas "chicotadas psicológicas" "nem está em questão a competência do treinador", mas sim "a competência dos dirigentes, porque não acertam e não utilizam o pressuposto das circunstâncias em que o clube está", como "os jogadores que possuem ou qual é o perfil do treinador adequado".

PUB

"Há treinadores que se podem dar muito bem numa equipa e podem não dar noutra. É preciso inteligência para escolher os treinadores", sublinhou.

O elevado número de despedimentos na Liga "demonstra a falta de perícia, de competência dos dirigentes".

"Se os dirigentes tivessem de pagar do bolso deles a indemnização aos treinadores [que despedem], naturalmente pensariam mais vezes relativamente ao assunto. Como quem paga é o povo, quando digo povo é o clube, os sócios, as pessoas que gostam de futebol... não há devido cuidado de escolher as equipas técnicas", acrescentou.

O recorde de "chicotadas" é relativo a 2016/2017, quando houve 19 mudanças de treinadores. José Pereira não sabe se esse número vai ser batido, mas lembra que "algumas [equipas] já vão no terceiro e provavelmente irão ao quarto".

"No fim, há uma equipa campeã e duas equipas descem de divisão, inevitavelmente", concluiu, à margem da apresentação do Fórum Nacional de Treinadores de Futebol, que se realiza em Leiria nos dias 21 e 22 de março.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG