Futebol

Chimy foi contratado para a liga espanhola graças ao Whatsapp

Chimy foi contratado para a liga espanhola graças ao Whatsapp

O diretor desportivo do Osasuna, Braulio Vázquez, convenceu Chimy Ávila a juntar-se ao clube espanhol, através de uma mensagem no Whatsapp que conquistou o avançado argentino.

Chimy Ávila é um avançado argentino contratado pelo Osasuna, proveniente do San Lorenzo, e alinhava no Huesca a título de empréstimo na temporada passada. A transferência para Pamplona foi realizada de forma insólita, como revelou o diretor desportivo Braulio Vázquez. Foi numa troca de mensagens que este conseguiu conquistar o coração de Chimy.

A cumplicidade entre o diretor e o jogador teve início no Whatsapp, numa conversa em que Braulio Vázquez enviou várias mensagens motivacionais, acompanhados de vídeos do ambiente do estádio El Sardad, onde se podiam ver os adeptos a puxar pela equipa e festejar com os jogadores depois das vitórias. Uma das mensagens foi especial para o avançado: "Já imaginaste o estádio todo a cantar: Chimy! Chimy! Chimy!" A resposta do próprio foi: "Se imagino..."

Na troca de mensagens, não se falou de dinheiro, nem de cláusulas, pois ambos preferiram deixar esses assuntos para os representantes do clube e do jogador. O objetivo era mostrar o valor do clube e química entre o plantel e os adeptos, como explica o diretor numa entrevista à "El Pais": "Sabíamos que era uma pessoa muito emocional e decidimos convencê-lo assim para mostrar que levava o ADN 'osasunista'".

O quarto melhor marcador do campeonato espanhol, apenas atrás de Messi, Benzema e Suárez, com nove golos marcados, acredita que tomou a decisão correta: "A minha família e eu não nos vemos em outro lugar", disse.

O diretor desportivo revelou que Chimy não foi o único "alvo" desta estratégia, pois fizeram o mesmo com o defesa Roncaglia, de forma a mostrar o projeto inovador de um clube pequeno como o Osasuna. Braulio Vázquez já trabalhou no Valência e quando o clube estava em vias de contratar Jonas Gonçalves (ex-Benfica), enviou-lhe um vídeo da cidade, pois "afinal de contas os futebolistas são como outros profissionais e querem sentir-se à vontade."

O jogador que subiu o valor de mercado dos 2,7 para os 15 milhões de euros, segundo avaliação do Transfermarkt, considera que a proposta foi tentadora, porque o clube trouxe-lhe memórias do futebol argentino, conhecido pelo povo eletrizante: "Identifico-me muito com a massa adepta daqui e recorda-me a maneira como se vive o futebol na Argentina."

Chimy Ávila foi obrigado a abandonar o futebol profissional entre os 18 e os 20 anos devido a uma doença da sua filha. "Os adeptos estimulam-me mas o que mais me motiva é pensar no prato de comida para a minha filha. Deixo tudo em campo porque são os valores que quero transmitir".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG