F. C. Porto - Sporting

Clássico para abrir uma janela ou portão do título

Clássico para abrir uma janela ou portão do título

F. C. Porto lança todos os trunfos e tenta reduzir a desvantagem de 10 pontos para o líder Sporting. Taremi nunca marcou aos leões. Pedro Gonçalves procura repetir a proeza.

Corações ao alto. Mesmo sem público, clássico é clássico e hoje todas as atenções do mundo da bola, pelo menos cá pelo burgo, estarão centradas no Estádio do Dragão, onde há um F. C. Porto-Sporting. Um clássico muito diferente do passado recente, pois não há memória de ver a equipa leonina no comando, com 10 pontos de vantagem sobre o conjunto azul e branco.

Os dragões entram, indiscutivelmente, mais pressionados e só a vitória interessa para reduzir a distância para sete pontos e assim abrir uma janela na luta pelo título. Já um triunfo leonino deixa um portão escancarado para a formação de Ruben Amorim embalar rumo à conquista do campeonato. Um empate, por razões óbvias, agradará mais aos leões, que continuariam invictos e com a mesma diferença pontual. Na primeira volta, em Alvalade, as equipas terminaram empatadas, 2-2.

Nesta equação, importa referir que Braga e Benfica estarão muito atentos no sofá, pois a luta pelo segundo lugar e apuramento direto para a Liga dos Campeões, que vale muitos milhões, está ao rubro e promete durar até ao fim.

O F. C. Porto é, neste momento, segundo classificado, com mais um ponto que os bracarenses e cinco que os encarnados. O histórico recente no Dragão é muito favorável aos azuis e brancos. Nas últimas quatro épocas, desde que Sérgio Conceição assumiu a liderança, a vitória sorriu sempre aos dragões, uma para a Taça de Portugal (1-0) e três para o campeonato (2-1, 2-1 e 2-0), sendo que a última confirmou o 29.º campeonato.

No confronto entre treinadores, o saldo é outro e beneficia Ruben Amorim, que apenas perdeu uma vez frente a Conceição. Para além desse desaire, o técnico leonino soma três vitórias e um empate.

artilheiros em ação

PUB

Os grandes protagonistas estarão no relvado e aí haverá um duelo entre os goleadores. Taremi, o melhor marcador dos dragões com 15 golos, procura estrear-se a marcar frente aos leões, ao passo que Pedro Gonçalves, que leva 14 golos na temporada, já marcou uma vez ao F. C. Porto, na época anterior, na vitória (2-1) do Famalicão, no jogo pós-retoma da Liga.

MURAL

Super Dragões homenageiam Quintana

Depois de Reinaldo Teles, Quintana. Num curto espaço de tempo, a nação portista volta a estar de luto (ver mais no suplemento Ataque) e a claque Super Dragões volta a homenagear um dos "seus", que partiu cedo demais. Hoje, no Dragão Arena, onde tantas vezes Quintana brilhou na baliza portista, será pintado um mural de homenagem ao guardião. No interior do Estádio do Dragão, também serão visíveis cartolinas em memória do malogrado guarda-redes de andebol do F. C. Porto e da seleção nacional.

Foi, seguramente, uma das antevisões mais longas da época, mas mesmo assim o técnico do F. C. Porto não fugiu muito às evidências que o clássico com o Sporting é fundamental nas contas do título. Os dragões seguem pressionados na tabela e tudo que não seja uma vitória praticamente hipoteca a revalidação do campeonato.

"Sabemos da importância do jogo e da distância que temos para o nosso rival. Assumimos a responsabilidade", observou Conceição, antes de analisar o leão, de Ruben Amorim: "É uma equipa pragmática que sabe o que quer dentro da simplicidade do seu jogo. Utiliza muito bem a largura e a profundidade e depois defende sempre com muita gente. É fácil desmontar a forma de jogar do Sporting, mas, se não formos competentes, é difícil de contrariar".

O clube de Alvalade apontou o dedo a Francisco Conceição como especialista em cavar penáltis e o técnico respondeu à letra. "Na meia-final da Taça da Liga com o Sporting tivemos quatro faltas ofensivas em livres laterais ou frontais, porque gritaram na área, caíram, e em duas o árbitro não estava nem a olhar para os jogadores. É a chamada falta da confusão. Se o Sporting está preocupado, nós também estamos preocupados com os gritos".

O nome de Francisco Conceição voltou para a mesa, concretamente sobre o tempo de utilização, e o treinador partilhou uma história: "Está preparado para jogar 90 minutos na Liga, mas nunca disse quando entraria a titular (...) O meu filho vive na mesma casa que eu, mas vem para o treino por ele porque não tem carta, vem de táxi ou com os irmãos. Uma vez trouxe-o e deixei-o ali em cima, ele ficou com uma azia dos diabos. Ainda hoje [ontem] aconteceu. Quando entro no Olival, fecho a cortina e sou treinador do F. C. Porto".

Aparentemente tranquilo e até com algumas tiradas de humor, o treinador do Sporting frisou que a sua equipa precisa tanto de vencer como a do F. C. Porto. "Tem-se dito que é um jogo de tudo por tudo para o adversário, mas acho que também tem de ser tudo por tudo para o Sporting. Não ganhámos há muito tempo e temos de ter mais fome", referiu.

Sérgio Conceição, técnico dos dragões, afirmou que os jogadores do Sporting gritam muito à procura de faltas e Amorim contra-atacou com boa disposição. "Espero uma boa arbitragem, num jogo sem casos. A culpa dos gritos é do Nuno Santos, que grita muito alto. A culpa não é dos jogadores do Sporting, é só dele", gracejou. Mais a sério, desvalorizou as polémicas. "Quando voltar a haver público, deixa de se ouvir os gritos".

Relativamente à vantagem dos leões no campeonato, o responsável pediu prudência. "A forma como o F. C. Porto festejou o segundo golo com o Marítimo é sinal de que não deitou a toalha ao chão. O Braga também está bem vivo e o Benfica mostrou que não está tão desunido como se diz. Temos de dormir com o olho aberto e estar sempre preparados para as dificuldades". Amorim garantiu não ter dúvidas da ambição da equipa no Dragão: "Vamos para vencer. Queremos jogar bem e crescer". Admitiu que o Sporting teve sorte em alguns momentos, mas realçou que não é a única a ser acompanhada pela fortuna. "Os outros também marcam aos 90 minutos e o Sporting é que parece que tem sempre estrelinha".

Paulinho é a única baixa do leão para o duelo desta noite. "Não está disponível e dificilmente estará pronto para o próximo. Vamos recuperá-lo bem, porque teve uma fase complicada no Braga, em que se lesionou. Mudou de casa, de vida, é preciso tempo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG