F. C. Porto

Conceição: "Agora, Tondela é a nossa Champions"

Conceição: "Agora, Tondela é a nossa Champions"

Quase sem tempo para respirar, o F. C. Porto joga este sábado na Beira Alta depois de uma semana de sentimentos contraditórios. A diferença para o líder do campeonato Sporting foi reduzida para oito pontos e, na quarta-feira, os dragões assinaram uma bela exibição frente ao Chelsea, mas acabaram por perder (0-2) a primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões.

"Esperamos as dificuldades normais de uma equipa que é bem orientada, tem um plantel com qualidade e que, em casa, tem feito um campeonato bem acima da média, conquistado 23 dos 28 pontos que tem. Não sou apreciador de estatística, mas é um rival fortíssimo em casa", começou por analisar o treinador portista, lembrando a dificuldade extra que os azuis e brancos vão encontrar nesta montanha-russa de jogos.

"As histórias dos jogos são escritas pelas três equipas em campo, de certeza que vamos dar uma boa resposta num cenário difícil, sobretudo por causa das 60 e poucas horas entre os encontros. Chegámos ao Porto às três da manhã alguns jogadores só adormeceram às cinco e, hoje ao início da tarde, viajamos para Tondela. Para mim não é compreensível este calendário, porque o campeonato podia estender-se mais alguns dias. É pouco tempo de recuperação entre competições distintas. Alguns podiam não acreditar que uma equipa portuguesa chegasse a uma fase tão adiantada da Champions. E se alguém tivesse avançado na Liga Europa, era ainda pior, porque jogariam à quinta-feira", defendeu.

O duelo na Beira Alta é "importantíssimo" - "uma final para nós" - e Conceição deixou um desejo, em estilo de recado, para o que falta jogar da Liga portuguesa: "Perdemos pontos em jogos em que nada o fazia prever e não foi por culpa da equipa. Sem os quatro pontos perdidos em Braga e Belém, a história seria diferente. Já passou, não há nada a fazer. Espero que este resto de campeonato corra da melhor forma a toda a gente, a todos os intervenientes diretos e que os atores principais sejam os jogadores".

"Quero que os meus jogadores estejam no máximo, sabendo que estamos no meio de uma eliminatória dos quartos de final da Champions. É preciso saber gerir esse lado mais emocional: os jogadores têm de ser fortes mentalmente e verdadeiros campeões. Esta é a nossa Champions: o jogo em Tondela. Mas não podemos apagar o passado recente, nem o que vem a seguir. Com tudo o que se passou no campeonato... no final, fazem-se as contas e a equipa que perder menos pontos será campeã e merecerá os parabéns".

"Gesto faz parte do futebol, mas não é o futebol"

Ainda sem saber se pode contar com Sérgio Oliveira (treinou integrado condicionado) e desvalorizando o facto de Taremi não marcar há oito jogos - "é tão importante quem faz a pressão e quem faz a assistência como quem marca. Se é o Taremi, o Manuel ou o Joaquim, isso é o menos importante" -, o treinador portista desvalorizou o gesto que fez no final do jogo com o Chelsea, em que pôs a mão num plano inclinado.

PUB

"Acho mais importante destacar que fizemos 12 remates contra seis do Chelsea e que estivemos muito bem em termos estratégicos. Isso (o gesto) não é futebol. Faz parte do futebol, mas não é o futebol".

O guarda-redes Diogo Costa não viajou para Sevilha após ter testado positivo à covid-19 e Conceição revelou que o resto do plantel testou todo negativo. "Graças a Deus. Como sabem alguns membros do staff estão positivos, mas eles não são tão importantes como os jogadores. Claro que o são nas suas funções, mas os atletas é que jogam".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG