F. C. Porto

Conceição diz que "não vale a pena massacrar Ronaldo de elogios"

Conceição diz que "não vale a pena massacrar Ronaldo de elogios"

Treinador dos dragões acredita na possibilidade de passar a eliminatória com a Juventus e garante uma equipa mentalmente forte.

Num momento difícil da época para o F. C. Porto, que vem de três empates seguidos no campeonato, eis que chega a hora da primeira mão dos oitavos de final da Champions. Na antevisão do jogo com a Juve, Sérgio Conceição deixou uma mensagem de otimismo, apesar do poderio do adversário.

"Estamos a falar de uma equipa muito forte, uma das que têm mais presenças na final da Liga dos Campeões. Vem de uma derrota com o Nápoles, mas não é verdade que não esteja bem ultimamente. Sofreu dois golos nos últimos oito jogos. A Juventus é muito consistente e sólida. É uma equipa que só ganhou 3-0 em Barcelona [na fase de grupos].... Mas também terá dificuldades porque vai apanhar um F. C. Porto com mentalidade vencedora e à procura de um resultado positivo, que é a vitória", afirmou o técnico portista.

Sobre a influência de Ronaldo na equipa italiana, Conceição referiu: "Uma equipa é uma equipa, mas o Cristiano em qualquer momento pode decidir um jogo. No último terço do campo, é um jogador fabuloso, o melhor do Mundo, na minha opinião. Nem vale a pena estar a massacrá-lo de elogios, porque é fácil de os colar a um jogador como ele. O Cristiano só tem de ser um grande motivo de orgulho para os portugueses. Neste jogo, temos de ser sólidos, como temos sido na Champions, mais do que no campeonato, e perceber que tipo de espaços é que ele gosta de ocupar".

Os maus resultados recentes dos dragões e a instabilidade emocional que se tem visto em vários momentos dos jogos anteriores é algo que, segundo o treinador, está ultrapassado: "Não podemos repetir alguns erros, mas a equipa está completamente estável e focada. Estamos a falar de um jogo de altíssimo nível e ao mínimo pormenor pode-se perder. A concentração e a confiança têm de estar no máximo. A nível emocional, o grupo está consciente do que tem a fazer e não é só na Liga dos Campeões. Houve incidências nos últimos três ou quatro jogos que não são normais. Mas é o que temos. Espero que as coisas melhorem para todos os intervenientes".

"Eu sou nervoso por natureza. Já me conhecem e em Itália também... Mas aqui não há nervosismo. Os jogos com o Braga é que levaram a que se passassem algumas cenas. Nós queremos sempre os jogos de uma forma pacífica, mas quem os vive de forma apaixonado como nós vivemos aqui no nosso clube, percebe que há muitas injustiças que se passam e é normal que haja desagrado por algumas decisões que foram tomadas. Mentalmente, estamos muito fortes para amanhã, meus amigos", disparou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG