F. C. Porto

Conceição e a Champions: "Palavra que me vem à cabeça é equilíbrio"

Conceição e a Champions: "Palavra que me vem à cabeça é equilíbrio"

O treinador do F. C. Porto fez a antevisão do duelo deste sábado com o Arouca, prometendo uma resposta à altura após o empate (1-1) com o Marítimo no Funchal. Sobre os rivais na Liga dos Campeões, lembrou que os orçamentos não ganham jogos.

Depois dos primeiros pontos perdidos no campeonato, os dragões regressam a casa e pela frente tem uma formação arouquesa que voltou este ano ao convívio dos grandes.

"É uma equipa que fez excelente temporada na Liga 2, que lhe permitiu estar entre os melhores. É um clube sempre difícil, sempre com boas individualidades e bons treinadores. É uma equipa bem organizada em 4x3x3, que tem gente que é capaz de explorar o espaço que os adversários lhe dão. Cabe-nos levar o jogo para onde queremos e ganhar os três pontos", afirmou Sérgio Conceição, passando um pano sobre o jogo nos Barreiros.

"A resposta que temos de dar é independente do jogo passado, que já não conta. Claro que tivemos de trabalhar em cima desse jogo e preparar para ganhar ao Arouca. O próximo jogo é sempre para ganhar. Não tivemos a mesma eficácia na Madeira, mas foi um jogo bem conseguido", lembrou o treinador, antes de ser questionado se queria reagir às acusações que lhe foram feitas pelo presidente do Marítimo, Carlos Pereira.

"Não", limitou-se a dizer. Um dia depois do sorteio que colocou Atlético de Madrid, Liverpool e Milan no caminho europeu do F. C. Porto, Conceição não esqueceu o prestígio histórico de todos os emblemas do Grupo B e entende bem a razão pela qual o treinador dos reds, Jurgen Klopp, se riu após a composição dos agrupamentos.

"Compreendo a curiosidade. O Klopp riu-se e é normal que se ria, quer olhar para o grupo com positivismo. Vamos ter tempo para falar dessas equipas fantásticas que estão na Liga dos Campeões. Nós, como F. C. Porto, vamos dar uma boa imagem do que somos: um dos clubes com mais presenças nesta competição", começou por referir o técnico.

"O meu sentimento, olhando para o grupo e vendo o nome das equipas, e a palavra que me vem à cabeça é equilíbrio. São quatro grandes clubes que, somados, são os que têm mais Liga dos Campeões conquistadas. Fortes, as quatro equipas são fortes. Obviamente, em termos de história e de momento atual há essa grande diferença de orçamentos, que nós conhecemos, mas não é isso que entra em campo. O mesmo se aplica ao Arouca e se perspetivamos um jogo difícil, nós também queremos ser competitivos na Champions", acrescentou.

PUB

Orgulho pelos internacionais e as datas FIFA

O guarda-redes Diogo Costa e o médio Otávio foram chamados pela primeira vez à seleção nacional e Conceição deixou um conselho à dupla: "O conselho que eu dou é o mesmo de todos os dias: que trabalhem, sendo ou não convocados para as seleções, porque o meu trabalho é fazer que sejam melhores. Claro que fico muito satisfeito pela primeira vez do Otávio e do Diogo. É merecido e fruto do trabalho deles, primeiro, e de toda a estrutura que os acompanha. É um orgulho para todos. Não trabalhamos a pensar nisso, mas sim em torná-los mais fortes e isso reflete-se nas chamadas à seleção", disse, revelando que Otávio está muito melhor da lesão, deixando antever que pode ser opção frente ao Arouca.

Ao serviço da Colômbia vão estar Uribe e Luiz Díaz e o último dos três jogos dos "cafeteros" será realizado em cima do clássico da quinta jornada entre dragões e leões. O treinador portista espera que a reunião realizada esta manhã na Liga traga boas notícias para os clubes.

"Depois deste jogo vamos pensar nisso, mas é um problema sem dúvida nenhuma. Jogam a 9 (de setembro) e o nosso encontro com o Sporting deve ser no dia 11. O tempo é curto, mas falaremos com os atletas para estarmos em sintonia. As seleções são importantes, mas para mim os clubes são mais. Ainda não falei com o diretor-geral sobre isso. Houve reunião na Liga, ele esteve lá, mas ainda não sei o que se passou.

Apesar do "mercado de transferências ficar à porta do Olival", Conceição compreende a curiosidade sobre o tema e tudo parece estar calmo e sereno: "Pela minha parte foco total no Arouca, da parte dos jogadores também, mas percebemos que esta reta final do mercado suscite curiosidade. Pelo que tenho falado com Direção e com o presidente, por agora as coisas estão muito tranquilas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG