F. C. Porto

Conceição e a possível renovação do contrato: "Há coisas mais importantes"

Conceição e a possível renovação do contrato: "Há coisas mais importantes"

O treinador do F. C. Porto foca atenções à receção ao Paços de Ferreira, depois da passagem aos quartos de final da Champions frente à Juventus: "É um jogo que fica para a história".

Na antevisão mais curta da época, Sérgio Conceição abordou quatro temas no Olival: a qualificação com a Juventus, o Paços de Ferreira, o lado emocional de Taremi e a possível renovação do contrato. O técnico mantém os objetivos traçados no início da época e afasta qualquer euforia, depois da noite épica de Turim: "Sorriso rasgado? Não, ainda fico pior, no sentido de perceber que não estávamos assim tão mal com o Braga nem agora estamos de uma forma fantástica. Há sempre coisas a melhorar. Mantemos a responsabilidade no campeonato e preocupa-me mais alguma euforia externa que possa influenciar os jogadores. Como líder da equipa, cabe-me alertar o grupo para que esteja consciente. É um jogo que fica na história frente a uma das melhores equipas do mundo, ao contrário do que querem fazer passar, mas o futuro passa por defrontar uma equipa competente como o Paços de Ferreira, que tem feito um excelente campeonato e está bem orientado. Disse isso na primeira volta e não me enganei".

Taremi, que foi expulso em Turim e acabou o jogo em lágrimas, deve manter a titularidade. "Sentiu que teve um momento menos bem, coincidiu com o facto do árbitro ser rigoroso, e no final disse-me que se jogasse com o Paços de Ferreira ia redimir-se e fazer golo", explicou Conceição.

O técnico está em fim de contrato e muitos adeptos pedem a renovação, sobretudo depois da proeza frente à Juventus. Sérgio Conceição, sem surpresa, foi algo evasivo, salientando desde logo que "há coisas mais importantes". "A situação do Sérgio, Manuel ou António não é um problema. Vocês conhecem a minha vivência, nos outros clubes foi igual e sou o mesmo profissional aqui. Para mim nunca foi um problema a minha continuidade ou ir embora, ou as pessoas responsáveis acharem isso. Graças a Deus, tenho a vida completamente estabilizada, não dependo do futebol para nada. Dependo por aquilo que é a minha paixão, que é a única coisa que me move. Por respeito aos adeptos e ao clube que represento, a única coisa verdadeiramente importante é o jogo de amanhã", salientou, convicto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG