F. C. Porto

Conceição: "Na Ucrânia é que as pessoas estão desgastadas"

Conceição: "Na Ucrânia é que as pessoas estão desgastadas"

O treinador do F. C. Porto manifestou uma "tristeza profunda" pela guerra entre russos e ucranianos e até se serviu do exemplo do sofrimento das populações para garantir que a equipa tem de estar bem no plano emocional. "Estamos aqui em paz no nosso cantinho".

"O Gil Vicente é uma equipa que está a fazer excelente campeonato, com jogadores experientes e treinador muito sólido, que tem vindo a fazer um trabalho muito interessante em equipas que, teoricamente, não lutam por certos objetivos e ele consegue classificações e resultados acima da média", analisou Sérgio Conceição, admitindo que o tempo de recuperação após o jogo em Roma não é suficiente.

"Estamos avisados da qualidade coletiva e individual do Gil. Pena não termos muito tempo para preparar o jogo, já falámos do problema da recuperação. Não serve de desculpa, é verdade, sobretudo quando jogámos em casa. Chegámos às três da manhã e ficam pouco mais de 60 horas para recuperar. O Gil não perde há oito jogos, a última derrota foi contra o campeão nacional. É normal que o Ricardo Soares desvalorize as nossas 60 e poucas horas de intervalo entre um jogo e outro, como é normal eu dar ênfase a essa situação, mas não pode servir de desculpa", garantiu.

PUB

Questionado sobre o eventual desgaste emocional dos atletas portistas, o técnico fez o paralelo com o que se está a viver um pouco por toda a Ucrânia: "A mim preocupa-me o plano físico. No plano emocional, só podemos estar no máximo, olhando para a nossa época e depois de eliminarmos a Lazio, uma excelente equipa de um dos melhores campeonatos do Mundo. Se olharmos para a Ucrânia, aí é que as pessoas estão emocionalmente desgastadas. Nós estamos aqui num cantinho em paz... basta olhar para o lado para perceber que temos de estar tristes - e é uma tristeza profunda -... enfim. Neste momento, olhamos para um jogo de futebol e fica reduzido a muito pouco".

Pedindo desculpa pelo desabafo, Conceição voltou ao aperto do calendário que, nos próximos tempos, fará os dragões disputar jogos do campeonato, Taça de Portugal e Liga Europa. A prioridade está mais do que estabelecida: "O jogo com o Gil é o mais importante. Pode permitir continuar, pelo menos, com a mesma distância pontual. Disse sempre e não escondo: o principal objetivo é ganhar campeonato, mas depois temos a Taça e o Lyon. Também vamos querer ganhar, mas a nossa final é amanhã [domingo] contra o Gil. Não há jogos fáceis, o Gil está num bom momento, quer fazer história e só está a quatro pontos do Braga. Vamos ter dificuldades, mas o Gil também. Temos a obrigação de dar uma resposta de quem quer atingir o objetivo principal".

"O presidente teve paciência para me aturar"

O duelo frente aos galos de Barcelos é o 256.º encontro de Conceição à frente da equipa, o que lhe vai permitir ultrapassar Artur Jorge e tornar-se no segundo treinador com mais partidas à frente do F. C. Porto, atrás, apenas, de José Maria Pedroto. A análise foi bem-humorada: "Sinto que o presidente deve ter um aplauso forte meu, porque teve paciência para me aturar este tempo todo, o que não é fácil".

Conceição não conta com vários jogadores para o encontro deste domingo, devido aos castigos de Marchesín, Pepe, Grujic e Uribe, com Bruno Costa e João Mário a estarem em dúvida. "Vamos entrar com 11. Teremos de ajustar a equipa, claro, e também por isso é que chamámos o Bernardo Folha, da equipa B", confirmou.

Admitindo que Rúben Semedo ainda tem "um caminho a percorrer" até ser opção na equipa principal, o treinador deixou fortes elogios a Taremi. "Ouvi e li que ele se desgastava a jogar atrás do avançado, mas agora já me começam a dar razão. Sempre soube que Taremi é mais do que um simples finalizador. Basta ver o que ele faz, sem bola, como terceiro médio a defender", finalizou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG