F. C. Porto

Conceição: "Não nos podemos dar ao luxo de perder mais pontos"

Conceição: "Não nos podemos dar ao luxo de perder mais pontos"

O treinador do F. C. Porto lembra que defrontar o Vitória é "historicamente difícil, seja no Dragão ou em Guimarães", e utilizou as dificuldades sentidas frente ao Nacional, na Madeira, para explicar o mais importante.

"Foi difícil, não foi muito bonito, mas o mais importante era ganhar. Com todo o respeito por todos os adversários no campeonato, se estivermos bem ganhamos o jogo. Nesta caminhada, não nos podemos dar ao luxo de perder mais pontos e na última jornada fazem-se as contas", afirmou Sérgio Conceição, atento ao novo figurino do Vitória.

"Os jogadores são os mesmos, mas houve mudanças de treinador e, de há duas jornadas, tem um novo modelo de jogo, sempre com individualidades interessantes. É um jogo importante que queremos ganhar", garantiu o técnico, que utilizou o exemplo do Vitória para deixar uma crítica à constante dança de treinadores em alguns clubes.

"Projeto? É tudo uma tanga"

"Quando as coisas não correm bem, há um elemento que paga sempre... o treinador e a equipa técnica. Não há tempo. Falarmos de projetos, mas isto é tudo uma tanga. Não existe projeto nenhum, porque ao fim de dois ou três resultados negativos as pessoas deixam de ter paciência. Isto é o que vemos no futebol há muitos anos. Quando se tem crença e acredita na capacidade de uma pessoa... acredito que os dirigentes sintam a pressão dos adeptos e da Imprensa e, às vezes, cedem. Vejam quantos treinadores de qualidade estão sem trabalhar neste momento. Desejo ao João Henriques, e a todos que estejam sem trabalhar, que tenham verdadeiros projetos pela frente para mostrar a sua qualidade", concretizou.

Sobre a capacidade física da equipa portista, numa altura em que os clubes voltam a jogar duas vezes por semana, Conceição não teve dúvidas: "Estamos bem, estamos bem. Vamos jogar ao quarto dia, depois de um ciclo de três em três. Na Madeira é sempre difícil, não sei se pelo clima ou relva... soa a desculpa, mas não é. A obrigação é ganhar, fizemos isso, mas não foi da forma mais bonita. O Nacional foi diferente connosco, sobretudo no processo defensivo e na pressão à nossa primeira linha de construção. Mérito ao Nacional, amanhã é outro adversário. Estamos bem e prontos para ir à luta e dar luta até ao final do campeonato".

PUB

À sobrecarga de jogos junta-se o facto de alguns jogadores muçulmanos cumprirem, por esta altura, as regras do Ramadão. Conceição não põe qualquer entrave e compreende muito bem a fé, seja ela qual for.

"Já sabíamos e temos jogadores que cumprem. Tem a ver com crença e religião e aí não me meto, porque também faço jejum na quaresma. Não tenho de criticar, tenho de ajudar. As pessoas do departamento médico e o nosso nutricionista sabem contornar as dificuldades. Claro que não é o ideal, mas para algumas pessoas isso é muito relevante. Conseguimos amenizar algumas dificuldades que possam sentir, estamos muito atentos", disse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG