F. C. Porto

Conceição preparado para perder "mais um ou outro" jogador

Conceição preparado para perder "mais um ou outro" jogador

No dia em que assinou a renovação, por mais três temporadas, Sérgio Conceição deixou algumas pistas sobre a preparação de 2021/22, admitindo que "é inevitável" que venha a perder "mais um ou outro" jogador do atual plantel até ao arranque do campeonato.

Depois da saída de Moussa Marega, que acabou contrato com o F. C. Porto, e de ficar acertada a continuidade do técnico, agora é tempo de preparar a nova versão dos dragões e Sérgio Conceição até utilizou o exemplo do avançado maliano para abordar a inevitabilidade do mercado de transferências.

"Vai sair mais um ou outro, é inevitável. O Marega era alto, mas nem era muito simpático, e se jogava era porque tinha qualidade na nossa maneira de jogar. Provavelmente haverá outros "maregas" que jogam de forma diferente e que se vão encaixar na equipa", garantiu Conceição.

"Temos de relativizar um pouco estes movimentos e focar no que é mais importante: a equipa, as vitórias e os títulos", acrescentou o treinador, que também comentou a vaga de fundo que nasceu nas redes sociais a apoiar a sua continuidade à frente da equipa.

"Vivemos num mundo diferente de há 15 ou 20 anos. Já falei de redes sociais e do que contam para mim. Há quem goste [de mim], quem não aprecie e tenho respeito por todos desde que não passem os limites que se costumam passar nas redes sociais", pediu, salientando o que é mais importante para quem apoia o F. C. Porto.

"Sinto o carinho que os adeptos têm por mim, porque sabem que eu os defendo e faço tudo pelas vitórias do clube. Eles querem é ganhar, não querem um treinador que seja bonito ou alto. Sei que não agrado a toda a gente", afirmou.

PUB

Entre o balanço dos quatro anos que leva no comando da equipa e o objetivo para os três que tem para cumprir, Sérgio Conceição garante que há algo que não muda: "Temos de continuar a sermos nós mesmos, a acreditar no nosso trabalho. E conseguir o mais importante: títulos. Claro que não fomos perfeitos nestes quatro anos, não ganhámos tudo, mas lutámos por tudo até ao fim.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG