Futebol

Conselho de Disciplina abre processo contra Frederico Varandas, João Mário e Miguel Braga

Conselho de Disciplina abre processo contra Frederico Varandas, João Mário e Miguel Braga

Em causa está a contestação do clube de Alvalade à arbitragem do jogo com o Famalicão, da última jornada da Liga.

O jogo entre o Famalicão e o Sporting (2-2) foi há uma semana mas ainda mexe. O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) informou que vai avançar com três processos disciplinares a elementos do clube verde e branco, devido às declarações proferidas depois do apito final.

"Instauração de processo disciplinar a Frederico Varandas, a Miguel Braga e a João Mário, por deliberação da Secção Profissional, de 9 de dezembro de 2020, tendo por base participação disciplinar apresentada pelo Conselho de Arbitragem da FPF, por alegadas declarações proferidas em órgão de comunicação social. O processo foi enviado, ontem [sexta-feira], à Comissão de Instrutores da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, ficando excluída a publicidade até ao fim da instrução", pode ler-se em comunicado.

Depois do duelo em que Rúben Amorim foi expulso e mais tarde castigado com duas semanas de suspensão, o líder do Sporting considerou que o golo de Coates, que seria o 3-2 para o Sporting, era "limpo" e que a decisão que foi tomada em Famalicão "jamais seria tomada com Benfica e F. C. Porto". "Jamais seria anulado com os nossos rivais, jamais! Lamento mas enquanto presidente do Sporting custa muito ver quatro pontos retirados por uma utilização má do VAR. Não estou a falar dos lances discutíveis, isto é uma má utilização do VAR e foi isso que aconteceu", apontou Frederico Varandas.

João Mário considerou que a equipa de arbitragem "anulou um golo limpo" e que "não deixou ganhar o Sporting". Por último, Miguel Braga, responsável pela comunicação do emblema leonino, criticou Luís Godinho e o comunicado emitido pela APAF na Sporting TV.

"Em nove jogos para o campeonato perdemos pontos em dois e sempre com o mesmo árbitro. O Luís Godinho não apitou bem com o Sporting e, se me perguntarem, digo que não o quero ver mais a apitar o Sporting, até para proteção do próprio árbitro. Devia confiar nos instintos pois decide bem mas depois estraga tudo quando vai ao VAR. Já expulsou o Rúben Amorim duas vezes, que nunca tinha sido expulso como jogador (...) Sobre o comunicado da APAF só posso dizer que são coerentes. Quando fala o Sporting reagem mas quando falam os outros estão calados", apontou.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG