Futebol

Corinthians de Vítor Pereira repudia racismo de adeptos do Boca Juniors

Corinthians de Vítor Pereira repudia racismo de adeptos do Boca Juniors

O Corinthians, treinado pelo português Vítor Pereira, condenou esta quarta-feira os atos racistas dos adeptos argentinos do Boca Juniors na Taça Libertadores de futebol (0-0), que resultaram na detenção de três elementos em São Paulo.

"Esses comportamentos não serão tolerados. Fiel à sua história de luta, o Corinthians vai mais uma vez apresentar as denúncias que forem necessárias, o que sempre faremos, até que não seja mais necessário", escreveu o clube brasileiro nas redes sociais.

De acordo com os meios de comunicação locais, dois dos adeptos do Boca Juniors foram detidos depois de serem gravados a imitar o som de macacos, enquanto o terceiro foi preso após realizar a saudação nazi.

Esta situação é reincidente para os adeptos do Boca Juniors, uma vez que há dois meses, durante a fase de grupos da mesma Taça Libertadores, um outro argentino foi detido, sendo acusado de racismo.

No relvado, as equipas empataram 0-0 no jogo da primeira mão dos oitavos de final, num desafio em que os brasileiros atuaram extremamente desfalcados e ainda falharam uma grande penalidade desperdiçada por Roger Guedes, aos 44 minutos, defendida pelo guarda-redes Rossi.

O vice-líder do campeonato brasileiro, atrás do Palmeiras de Abel Ferreira, decide a continuidade em prova na terça-feira (quarta-feira de madrugada em Lisboa), agora em Buenos Aires.

O vencedor da eliminatória encontrará já nos quartos de final o vencedor do 'duelo', também a duas mãos, entre os colombianos do Tolima e o Flamengo.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG