O Jogo ao Vivo

Tour

De Gendt resiste e vence oitava etapa com show de Pinot e Alaphilippe

De Gendt resiste e vence oitava etapa com show de Pinot e Alaphilippe

O belga Thomas de Gendt (Lotto Soudal) ganhou este sábado isolado a oitava etapa da Volta a França, em que os franceses Julian Alaphilippe (Deceuninck-Quick Step), novo camisola amarela, e Thibaut Pinot (Groupama-FDJ) deram espetáculo.

De Gendt, de 32 anos, completou os 200 quilómetros entre Mâcon e Saint-Étienne em 5:00.17 horas, com seis segundos de vantagem sobre dois franceses, Thibaut Pinot (Groupama-FDJ), segundo, e Alaphilippe, terceiro.

"Estava num grande dia, acreditava na vitória. Quando passámos os cinco minutos de vantagem, sabia que havia uma hipótese. (...) Tivemos de pedalar a sério quando o pelotão se foi aproximando, a correr em força, mas voltámos a recuperar a vantagem. Quando faltavam 70 quilómetros, sabia que era possível", explicou.

A equipa "cumpriu o objetivo" de vencer uma tirada, mesmo que continue a apostar no sprinter australiano Caleb Ewan, após uma etapa "em muitos aspetos feita à medida" para De Gendt, admitiu o belga.

O belga, que já tinha vencido em 2016 uma etapa no Tour, e logo numa chegada em alto no Mont Ventoux, passou grande parte das duas centenas de quilómetros do dia em fuga, com três companheiros, acabando por resistir após a saída de cena do último, o italiano Alessandro de Marchi (CCC).

Aguentou as sete subidas categorizadas, de segunda e terceira categoria, e 'resistiu' ao ataque, vindo do pelotão de favoritos, da dupla francesa Alaphilippe e Pinot, a 13 quilómetros da meta.

A dupla não conseguiu alcançar o belga, mas ainda assim beneficiou do ataque, que trouxe espetáculo à reta final do dia: Pinot foi segundo e bonificou, subindo ao terceiro lugar da geral, e Alaphilippe foi terceiro, aproveitando a diferença para recuperar a amarela.

Alaphilippe tinha vencido a terceira etapa e andado de amarelo dois dias, mas a primeira grande dificuldade de montanha, La Planche des Belles Filles, deu a maillot jaune ao italiano Giulio Ciccone (Trek-Segafredo), que agora é segundo, a 23 segundos, embora mantenha a liderança da juventude.

Pinot segue a 53 segundos do compatriota, com um pódio que inclui dois franceses à entrada para a nona etapa, que arranca em Saint-Etiénne e acaba 170,5 quilómetros depois em Brioude, no Dia da Bastilha, feriado nacional francês.

No grupo de favoritos, que a Astana foi selecionando, o maior susto foi do campeão de 2018, o britânico Geraint Thomas (INEOS), que sofreu uma queda a 20 quilómetros da meta, ainda que tenha recuperado e siga em quinto, a 1.12 minutos.

O dia afastou as dúvidas sobre o italiano Vincenzo Nibali (Bahrain Merida), que perdeu mais de seis minutos e fica muito longe de ter possibilidades de voltar a ser campeão, depois do triunfo na 'Grande Boucle' de 2014.

Os três portugueses voltaram a estar discretos, com Rui Costa a seguir em 44.º lugar da geral, após ter sido 58.º na tirada, enquanto Nelson Oliveira (Movistar) subiu a 94.º e José Gonçalves (Katusha-Alpecin) caiu para o 126.º posto.