O Jogo ao Vivo

Judo

Dezenas aguardaram chegada de Jorge Fonseca a Lisboa

Dezenas aguardaram chegada de Jorge Fonseca a Lisboa

O judoca Jorge Fonseca, medalha de bronze na categoria de -100 kg no torneio olímpico de Tóquio2020, foi recebido esta sexta-feira à noite por algumas dezenas de pessoas na chegada ao aeroporto de Lisboa, depois da conquistar o primeiro pódio para Portugal.

O voo que trouxe o medalhado olímpico aterrou pouco depois da meia-noite, e o atleta saiu da zona de desembarque com a medalha ao peito direcionando os primeiros abraços para a mãe, a namorada e o filho.

"Muito obrigada, estou muito feliz. O meu objetivo era conquistar o ouro, trabalhei bastante para esse objetivo. Consegui o bronze, estou feliz, agora vou trabalhar para o ouro que é o meu objetivo", foram as primeiras palavras do medalhado ainda no aeroporto de Lisboa.

E prosseguiu: "Trabalho para a minha mãe, para a fazer feliz. A minha mãe é a minha fã número 1, estava mais nervosa que eu e estava sempre a ligar-me para saber como estava a competição. Trabalho para ela, para os meus familiares e para os portugueses que me apoiaram durante a prova toda".

"Estava ansioso por chegar, não dormi quase nada, queria partilhar este momento com os portugueses e os meus familiares cá em Portugal e estou muito contente por isso. Esta noite vou dormir com a medalha ao pescoço para sentir o que é ter uma medalha de bronze ao pescoço", completou o judoca.

Jorge Fonseca salientou que o bronze "é fruto do trabalho e do esforço nos treinos". "O segredo desta medalha é muito trabalho, muita dedicação. Trabalhei para o ouro, fiquei com o bronze, agora vou trabalhar para mais. daqui a três anos quero o ouro em Paris e já estou pronto para trabalhar para isso", realçou.

PUB

E continuou: "Dedico esta medalha a todos os portugueses que me apoiaram e aos meus pais".

Sobre a calorosa receção, o atleta afirmou não estar à espera: "Na minha cabeça já imaginava que ia acontecer, estar a minha mãe, a minha namorada, o meu filho e de todos que me apoiam".

O judoca tinha prometido dançar se ganhasse e justificou porque não o fez: "A dança não fiz porque não conquistei o ouro e só a vou fazer em Paris. Vai ser lindo. É uma promessa, desta vez não prometi, mas em Paris vou estar muito mais no pico da forma e vou conseguir os meus objetivos".

Jorge Fonseca reconhece que a felicidade não é plena. E explica: "Não estou tão feliz porque sei que tinha capacidade para muito mais, para chegar ao ouro em Tóquio e o meu objetivo é trabalhar para isso em Paris. Vou fazer os três anos passarem o mais rápido possível para chegar a Paris e ser feliz".

O medalhado teve ainda tempo para deixar uma palavra ao Sporting, clube que representa. "Tenho muito que agradecer ao presidente do meu clube, o Sporting, que me tem apoiado bastante. A minha ligação com o Sporting tem evoluído bastante e tenho uma grande amizade com o presidente do Sporting e as coisas estão a correr bem como sempre quis", assinalou.

Para já, Fonseca quer "descansar a cabeça por uns dias, para depois começar a trabalhar para os grandes objetivos". E a medalha? "Vai para a casa da minha mãe".

Quanto aos colegas portugueses que ainda estão a competir, acredita que também eles irão conseguir trazer mais medalhas para Portugal. "Desejo boa sorte aos meus colegas que estão em Tóquio2020", finalizou.

Presidente da federação recebeu medalhado

À espera do bicampeão mundial e campeão europeu estava Jorge Fernandes, presidente da Federação Portuguesa de Judo, que se mostrou orgulhoso pelo feito do judoca luso.

"O Jorge Fonseca não desiludiu ninguém. Como estava prometido, lutou por uma medalha, conseguiu trazer a medalha, não foi a que ele queria, nem a que nós queríamos, mas foi uma medalha que quem nos dera a nós que mais atletas a trouxessem", afirmou o dirigente.

E elogiou o atleta: "É um exemplo para toda a gente, mais os mais novos e para os mais velhos, quer pelos problemas que tem tido, quer pela maneira como tem sabido resolvê-los. Mais uma vez voltou a mostrar que depois de ter perdido o combate da meia-final conseguiu ter força para dar a volta e lutar pela medalha e conquistá-la".

A modalidade conquistou já três medalhas olímpicas - Nuno Delgado (Sydney2000), Telma Monteiro (Rio2016) e agora Jorge Fonseca (Tóquio2020). "A nossa prestação já acabou e já estamos a pensar em 2024 e o Jorge Fonseca também e nós iremos dar-lhe a ele e a todos os atletas todo o apoio para em Paris podermos tornar o sonho da medalha de ouro realidade", completou Jorge Fernandes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG