Competição

Diretor de comunicação do F. C. Porto pede equilíbrio na calendarização do futebol

Diretor de comunicação do F. C. Porto pede equilíbrio na calendarização do futebol

Francisco J. Marques comparou o calendário do campeonato português com o de outros países da Europa e chegou à conclusão que na Liga lusa "a primeira volta é uma prova de fundo e a segunda é um sprint".

O diretor portista fez o levantamento da duração de cada uma das voltas dos diversos campeonatos e apresentou os seguintes dados: em Portugal, a primeira volta prolonga-se por 162 dias e a segunda dura apenas 112. Em Espanha, pela mesma ordem, são 142 dias e 126. Em Inglaterra a primeira volta até dura menos (139) do que a segunda (141). Na Alemanha são 127 dias para 119, em França 134 e 123 e, por fim, em Itália são 130 dias para 126.

"Há questões no calendário português que merecem ser refletidas. Há quem queira fazer essa reflexão, vir para praça pública para ser o paladino de sabe-se lá o quê. Mas tenho aqui duas cartas que o F. C. Porto enviou a 5 e 11 de setembro para a Liga, ao cuidado do doutor Pedro Proença. Assunto: Comissão de Calendários. O F. C. Porto tem discutido este assunto da calendarização com os protagonistas, onde tem de ser discutido, por isso estamos à vontade para discutir publicamente. O nosso calendário tem singularidades difíceis de entender. O campeonato é prova de regularidade, todos contra todos, a duas voltas. Deve haver equilíbrio entre a primeira e a segunda voltas. A primeira dura imenso tempo, é uma prova de fundo, e a segunda é um sprint", notou Francisco J. Marques no Porto Canal.

Benfica e Braga também já tinham tocado no assunto, mas o F. C. Porto, através do diretor de comunicação e informação, também veio debater o tema para a praça pública. E prosseguiu assim: "Estamos num período sem jogos, mas quando as competições voltarem, regressam com a Taça de Portugal. Depois há provas europeias. O F. C. Porto joga numa quinta-feira com o Rangers, depois, domingo, com Famalicão, quarta-feira vai à Madeira e, por fim, no domingo joga com o Aves. Estamos uma data de tempo sem jogar campeonato e depois jogamos muitas jornadas seguidas. O campeonato nacional, a prova mais importante, mas é jogado a meio da semana para pôr a Taça da Liga ao fim de semana? É preciso encontrar prontos de equilíbrio para proteger as equipas portuguesas na Europa".

A terminar, Francisco J. Marques deixou uma sugestão: "Se calhar precisam de diminuir um bocadinho a importância dada à Taça da Liga. Não faz sentido ter estes intervalos e depois tanta concentração de jogos".