Futebol

Dirigente da UEFA defende expulsão dos 12 fundadores da Superliga

Dirigente da UEFA defende expulsão dos 12 fundadores da Superliga

O dinamarquês Jesper Moller, membro do Comité Executivo da UEFA, afirmou esta segunda-feira esperar que os 12 clubes que anunciaram a criação da Superliga sejam expulsos das competições europeias na sexta-feira, durante uma reunião do organismo.

"Na sexta-feira, haverá uma reunião extraordinária do Comité Executivo da UEFA e tenho a expectativa de que esses 12 clubes sejam expulsos. Tem de haver consequências e acho que, desta vez, haverá", afirmou Moller, em declarações prestadas ao canal dinamarquês DR.

Caso este cenário se confirme, Real Madrid, Chelsea e Manchester City ficariam impedidos de disputar as meias-finais da presente edição da Liga dos Campeões, enquanto Manchester United e Arsenal seriam afastados das "meias" da Liga Europa, uma vez que todos eles são clubes fundadores da nova competição.

"Os clubes têm de ser expulsos, portanto, será preciso ver como se encerra a Liga dos Campeões", disse Moller, que é também o presidente da Federação Dinamarquesa de Futebol (DBU).

Por outro lado, o dirigente da UEFA considerou que os jogadores dos clubes que vão disputar a Superliga podem tornar-se atletas livres e assinar por outros emblemas: "Acredito que os contratos expiram automaticamente, a partir do momento em que os clubes optam por sair das competições da UEFA. Os jogadores ficarão livres e poderão escolher um clube que faça parte da nossa comunidade."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG