F. C. Porto

Do chapéu de Taremi à cartola de Conceição

Do chapéu de Taremi à cartola de Conceição

Dragões conquistam três pontos muito sofridos em Barcelos, graças a golo fabuloso do iraniano e a um livre perfeito de Sérgio Oliveira. Recuo foi fatal para os gilistas.

Um remate à saída do círculo central do meio-campo de Mehdi Taremi e um livre direto exemplar de Sérgio Oliveira garantiram o triunfo (2-1) aos dragões na visita ao terreno de um Gil Vicente que mostrou qualidade, mas foi incapaz de segurar um empate que apenas justificou na primeira parte. Sérgio Conceição mexeu bem na equipa, meteu todas as fichas no ataque e recebeu o prémio que procurava mesmo em cima do minuto 90.

O arranque de jogo foi absolutamente frenético. Aos 49 segundos o Gil já tinha dois remates, o segundo dos quais perigoso, mas o momento alto da noite (e, quem sabe, da Liga até agora) surgiu ao nono minuto. Lucas perdeu a bola numa saída para o ataque e, no limite do círculo central, Mehdi Taremi aproveitou o adiantamento de Frelih para assinar um chapéu absolutamente fenomenal.

Os dois jogadores voltariam a travar novo duelo pouco depois, desta vez com vantagem para o guarda-redes gilista e Lucas evitou que a recarga de Fábio Vieira se transformasse no segundo golo dos dragões. A equipa de Sérgio Conceição parecia começar a dominar, mas a história mudou aos 24 minutos. Depois de ser avisado pelo VAR e ver as imagens, Artur Soares Dias considerou que a mão de Mbemba era motivo para grande penalidade, depois de um remate à queima de Vítor Carvalho. Diogo Costa ainda defendeu o primeiro remate de Samuel Lino, mas o extremo fez o empate na recarga.

Depois do equilíbrio do primeiro tempo, a segunda parte foi quase de sentido único, mas a pressão portista encontrou uma barreira quase intransponível chamada Frelih, que travou as intenções de Uribe e Vitinha. A sentir a equipa a perder pulmão e alguma criatividade na organização, Sérgio Conceição lançou Sérgio Oliveira e Toni Martínez como primeiras opções a saírem do banco, com o internacional português a encontrar a chave da vitória. O livre, aos 89 minutos, foi tão perfeito que nem um super Frelih o conseguiu travar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG