Taça de Portugal

Dobradinha servida à moda do F. C. Porto de Conceição

Dobradinha servida à moda do F. C. Porto de Conceição

Taremi bisa na final, falha penálti, e dragões conquistam a 18.ª Taça de Portugal da história. É a segunda vez que o técnico portista leva a Liga e a Taça na mesma época. Neto Borges ainda deu alento ao Tondela

O F. C. Porto, campeão nacional, chegou ao Estádio Nacional decidido a fazer a dobradinha e transformou a vontade em qualidade, dominando a partida de fio a pavio, justificando totalmente o triunfo, por 3-1, frente ao Tondela. A 18.ª Taça de Portugal a viajar para o museu azul e branco tem ADN de Sérgio Conceição na totalidade. Intensidade, alta rotação, agressividade na recuperação e liberdade para os artistas brilharem. Tudo características que levaram à conquista do campeonato e que, no último jogo da temporada, ao triunfo na Taça de Portugal.

Os dragões entraram com os motores a todo o gás, mas nos primeiros minutos tiveram alguma dificuldade para decidir da melhor maneira no último terço. A grande penalidade, convertida aos 22 minutos, até foi o primeiro remate enquadrado dos portistas no encontro. O golo sofrido deixou a equipa do Tondela, que tinha fresca na memória a despromoção ao segundo escalão, ainda mais intranquila e foi abrindo espaços onde até então não tinham existido.

A segunda parte nada trouxe de novo a não ser o segundo golo do F. C. Porto, assinado por Vitinha, numa das muitas jogadas de envolvência que, sob a batuta de Otávio e Vitinha, os dragões foram conseguindo. Taremi foi fundamental na manobra ofensiva de Sérgio Conceição, desequilibrando ao descair para o lado esquerdo do ataque. Na defesa, os dragões iam mantendo os beirões sossegados, com Pepe e Mbemba a controlarem todas as movimentações ofensivas, bem acompanhados por Grujic.

Os dragões até podiam ter dilatado a vantagem, não fosse a grande penalidade falhada por Taremi, e minutos depois sofreram um susto com o golo de Neto Borges, naquele que foi o primeiro remate do Tondela aos... 73 minutos. Mas o susto pouco ou nada durou porque Taremi redimiu-se e bisou pouco depois em (mais um) lance açucarado e o 3-1 até acaba por ser um resultado pouco expressivo para a realidade que foi o jogo: um F. C. Porto dominador, mandão e que nunca deixou dúvidas sobre o desfecho da final.

É o ponto final numa das melhores épocas da história azul e branca, que junta um título nacional com recorde de pontos (91) da história da Liga à conquista da Taça de Portugal. Sérgio Conceição é o primeiro técnico português a fazer duas dobradinhas e o principal dado a registar é que o F. C. Porto foi a equipa que melhor futebol praticou durante toda a época.

PUB

Veja o resumo do jogo:

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG