Desporto

Aldeia de Crianças SOS recebe 1 euro por inscrição

Your browser doesn't support HTML5 video.

O hábito de caminhar ou correr já está enraizado na vida de muitos portugueses, mas fazê-lo por uma causa ganha sempre outra dimensão. E é esse cariz solidário que o Jornal de Notícias quis dar à 2.ª Corrida pela Alegria do Movimento, ao reverter um euro por inscrição a favor da Aldeia de Crianças SOS de Gulpilhares.

Uma iniciativa que dará ainda mais visibilidade a uma instituição que faz um esforço diário para dar um teto e uma família às 23 crianças e jovens, principalmente grupos de irmãos, dos 11 aos 21 anos, que acolhe nas instalações em Gaia.

"A Aldeia de Crianças SOS é uma instituição privada. Por isso temos de estar a trabalhar sempre as nossas parcerias e participar em campanhas de angariação de fundos, como esta do JN", explica o diretor Rui Dantas, justificando a necessidade constante de dinheiro: "Temos acordos com a Segurança Social, mas isso só cobre 35% das despesas. Estamos a falar de cerca de três milhões de euros anuais. O restante somos nós a angariar. Se depende-se-mos dos subsídios, já tínhamos fechado!".

Mais importante que o dinheiro é a missão que abraça. "O objetivo é dar às crianças a possibilidade de crescerem num ambiente familiar. Daí trabalharmos quatro princípios básicos: dar uma casa, uma mãe, uma família e integrar na comunidade", anota o responsável.

Por isso, nas Aldeias não se veem camaratas e cantigas, mas casas. E não só! Tem um campo de futebol, uma horta e pomar recém plantados, muitos animais (galinhas, patos, cabras, ovelhas, gatos e cães), um parque infantil e espaços verdes. "Sem rodeios, dizemos que têm excelentes condições. Não lhes falta nada. Nem em termos afetivos, nem materiais. Têm acesso a atividades desportivas, lúdicas, cinema, teatro, música, passeios e férias em colónias", afirma o Rui Dantas, finalizando: "Isso não colmata a ausência da família biológica, mas dá-lhes outras vivências e experiências". E quem passa pelas Aldeias não esquece o carinho e apoio recebido. Por isso, mesmo depois de saírem, voltam sempre, em especial para reverem a Mãe SOS.