Desporto

Eusébio sepultado perante milhares de pessoas

Eusébio sepultado perante milhares de pessoas

Milhares de pessoas deslocaram-se ao cemitério do Lumiar para prestarem homenagem a Eusébio, que foi esta segunda-feira sepultado. Antes, a urna de Eusébio deu uma volta ao recinto do Estádio da Luz, conforme desejo que foi expresso pelo ex-jogador do Benfica. Com a urna no centro do relvado, os adeptos cantaram o hino "Ser benfiquista" e o hino nacional. No cortejo fúnebre pelas ruas de Lisboa até à Câmara Municipal, milhares aplaudiram e exibiram cachecóis do Benfica à passagem do veículo que transporta o caixão.

À semelhança do que se passou ao longo do dia durante todas as cerimónias fúnebres, milhares de pessoas deslocaram-se ao cemitério do Lumiar para prestarem homenagem a Eusébio, cuja urna foi acompanhada por jogadores da equipa principal do Benfica.

O diretor desportivo e antigo jogador, Rui Costa, o capitão de equipa, Luisão, visivelmente emocionado, e o avançado Cardozo depositaram uma bandeira do Benfica na campa do antigo ponta de lança, que morreu aos 71 anos, vítima de paragem cardiorrespiratória.

A presença de milhares de pessoas dificultou a passagem do carro funerário no interior do cemitério e atrasou a cerimónia, obrigando a polícia a formar um cordão de segurança para que se procedessem às últimas exéquias.

Último desejo cumprido

Mais de dez mil pessoas estiveram, esta segunda-feira, nas bancadas do Estádio da Luz para renderem a última homenagem a Eusébio. A antiga estrela do Benfica e da seleção portuguesa de futebol, que morreu no domingo, manifestou como último desejo dar uma volta ao estádio que chamava a sua casa.

O plantel principal de futebol do Benfica posicionou-se na bancada presidencial, liderado pelo treinador Jorge Jesus, numa zona em na qual se posicionaram igualmente muitas personalidades, além da mulher de Eusébio, Flora, acompanhada pelo presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira.

O cortejo fúnebre seguiu depois pelas ruas de Lisboa e chegou à Praça do Município pelas 15 horas, onde era aguardado por centenas de pessoas de todas as idades, muitas com cachecóis do Benfica ao pescoço e peças de roupa vermelhas vestidas. O cortejo foi recebido com aplausos e vivas ao antigo jogador de futebol do Benfica.

O trajeto foi acompanhado por milhares de pessoas, que formaram um cordão humano praticamente ininterrupto, sobretudo quando o carro fúnebre saiu da Segunda Circular e entrou no Campo Grande.

A missa em homenagem a "Pantera Negra" começou às 16 horas, na Igreja do Seminário no Largo da Luz. O padre Vítor Melícias, que fez a homilia na missa do funeral de Eusébio, disse que o antigo jogador "se projetou como um verdadeiro mito" ainda em vida e que "se tornou mitologia de um povo".

"Damos graças a Deus por ele ter sido quem foi", referiu na homilia Vítor Melícias, acrescentando que Eusébio "desaparece fisicamente, mas continuará vivo".

A missa de corpo presente foi realizada na Igreja do Seminário da Luz, imediatamente antes do cortejo fúnebre iniciar o trajeto em direção ao cemitério do Lumiar.

Homenagem

Durante todo o dia de domingo e durante esta manhã, muitos adeptos juntaram-se na Luz para lembrarem Eusébio, junto à sua conhecida estátua, à porta do estádio. Muitas personalidades e anónimos prestaram a sua última homenagem junto ao caixão do "Pantera Negra".

Esta segunda-feira, após a reabertura de portas, o cenário repetiu-se. Apesar do frio e da chuva que cai em Lisboa, as pessoas continuaram a passar pela Luz, ostentando, sobretudo, símbolos do Benfica e de Portugal, mas também de clubes rivais.

Alguns atuais atletas do Benfica, antigos futebolistas, como Mozer e Manuel Fernandes (ex-Sporting), ou políticos, como o coordenador do Bloco de Esquerda, João Semedo, ou o secretário geral da UGT, Carlos Silva, passaram pelo local.

Dezenas de pessoas continuam também a passar pela estátua de Eusébio, repleta de flores, cachecóis, bandeiras e outros símbolos.

Milhares na Luz para receber Eusébio

Alguns milhares de adeptos do Benfica receberam a urna com cânticos de apoio ao Benfica, gritos por Eusébio e o hino de Portugal.

Por volta das 17.27 horas, minutos antes da chegada do corpo de Eusébio ao Estádio da Luz, os milhares de adeptos concentrados perto da porta número 1 do recinto começaram a entoar o cântico "SLB, Glorioso SLB".

Depois, os adeptos, cuja fila ultrapassou a porta 11, gritaram o nome do "Pantera Negra", antes de entoarem "A Portuguesa".

O primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, esteve no Estádio da Luz, para prestar a última homenagem a Eusébio, assim como outras figuras do desporto e da política nacionais. Também muitos anónimos fazem fila para passar pela zona do estádio onde está a urna do ex-futebolista.

As portas fecharam perto da meia-noite e reabriram, esta segunda-feira, pelas 9.30 horas.

Notícia correu mundo

A notícia da morte de Eusébio suscitou diversas reações de homenagem, nacionais e internacionais.

Já ao final da noite de domingo, o antigo futebolista brasileiro Pelé lamentou a morte do português Eusébio, aos 71 anos, a quem chamou de "irmão". Lamento a morte de meu irmão Eusébio. Ficamos amigos na Copa de 66 na Inglaterra", escreveu Edson Arantes do Nascimento, mais conhecido como Pelé, no Facebook.

Considerado o maior jogador de futebol da história de Portugal, Eusébio conquistou sua fama internacional no Mundial de Inglaterra1966, a que se referiu Pelé, quando levou a seleção portuguesa a alcançar o terceiro lugar, a melhor classificação lusa de sempre.

Pelé partilhou ainda uma foto daquela época ao lado de Eusébio e recordou o derradeiro encontro entre ambos, em setembro de 2013, nos Estados Unidos, onde ambos foram homenageados antes de um jogo particular entre as seleções de Portugal e Brasil.

Em Portugal, o governo decretou 3 dias de luto nacional e o presidente da República, Cavaco Silva, fez uma declaração em direto para lamentar a morte de um dos símbolos nacionais.

Benfica, Sporting e F.C. Porto fizeram também elogios ao ex-futebolista do Benfica. Cristiano Ronaldo homenageou também o "sempre eterno" Eusébio.

Eusébio nasceu a 25 de janeiro de 1942 em Lourenço Marques (atual Maputo), em Moçambique.

Apelidado de "Pantera Negra", o antigo jogador já vinha dando sinais de saúde debilitada, tendo estado internado em junho de 2012 no Hospital da Luz, na sequência de um acidente vascular cerebral (AVC) que sofreu na Polónia. Eusébio estava em Poznan a acompanhar a seleção nacional durante o Campeonato da Europa de futebol, quando se sentiu mal e foi internado num hospital daquela cidade polaca

ver mais vídeos