Desporto

Marcha: Ana Cabecinha oitava e com recorde nacional

Marcha: Ana Cabecinha oitava e com recorde nacional

Ana Cabecinha terminou os 20 km marcha na oitava posição e bateu o recorde nacional de Susana Feitor, estabelecido em 2001. A marchadora de Rio Maior desistiu da prova e felicitou a colega. Vera Santos foi décima.

Pode ter sido a passagem de testemunho na marcha portuguesa. Ana Cabecinha conseguiu a oitava posição e bateu por nove segundos o recorde nacional de Susana Feitor, estabelecido em 2001. A atleta algarvia completou o percurso em 1:27,46 horas, melhorando em nove segundos o anterior registo.

"Isto é tudo maravilhoso. Bati o recorde nacional e conquistei o oitavo lugar em ano de estreia nos Jogos Olímpicos. É como uma medalha para mim. Nunca pensei", afirmou Ana Cabecinha, que até chegou a Pequim depois da desistência de Inês Rodrigues.

A prova foi dominada do princípio ao fim pela russa Olga Kaniskina, medalha de ouro. A norueguesa Kjersti Tysse Platzer arrecadou a prata, enquanto a italiana Elisa Rigaudo ficou com o bronze.

As atenções lusas estavam em Susana Feitor. A marchadora de Rio Maior, a competir nos quintos Jogos Olímpicos, tinha como objectivo ficar nas oito primeiras, mas acabou por desistir. "Fiquei muito triste e desiludida. Foi um dia mau e estou frustrada. Quando faltavam cinco voltas, as minhas pernas morreram e ainda as tenho a tremer", disse a atleta.

Susana Feitor considera que "ainda é cedo" para pensar na participação em Londres 2012, mas garante já estar a preparar os décimos mundiais, desta vez, na Alemanha. E até já aprendeu a falar alemão.

Pelo meio, a marchadora felicitou Ana Cabecinha. Pela prova e por ter batido o "seu recorde". Ainda para mais, Susana Feitor é a heroína da algarvia. "És o meu ídolo. Não há mais nenhuma marchadora igual do mundo. E sabes que é verdade, desde pequenina", disse Ana Cabecinha a Susana Feitor. Esta respondeu de pronto: "O recorde nacional está bem entregue. Fico muito orgulhosa por ser a sua ídolo. Sinto que estou a contribuir para alguma coisa. Hoje [ontem] não fui uma referência, mas ela não pode desistir. É o pior que um atleta pode fazer."

"Ainda não reflecti sobre a marca. Foi um excelente resultado. Quando passei os 10 kms, vi que a prova ia ser muito rápida", analisou Ana Cabecinha, que ficou quase no sexto lugar. A espanhola Beatriz Pascual e a irlandesa Olive Loughnane chegaram apenas dois segundos à frente da marchadora algarvia.

Toda a prova decorreu debaixo de chuva diluviana e algumas atletas mostraram problemas de adaptação.

Também digno de registo foi o décimo lugar de Vera Santos. Também ela melhorou a marca pessoal e cumpriu o objectivo de ficar nas 16 primeiras.

"Ser décima foi bom. Tinha esse objectivo mas com dúvidas se conseguia. Sabia que estava na minha melhor forma de sempre, mas também tinha algum receio de não aguentar o ritmo delas", referiu Vera Santos.

A atleta destaca a "grande forma" da marcha portuguesa. "Neste momento, somos das melhores a nível mundial.

ver mais vídeos