O Jogo ao Vivo

Futebol

Dragão de força e classe torna o sonho europeu bem real

Dragão de força e classe torna o sonho europeu bem real

Primeira vitória permite igualar Atlético de Madrid no segundo lugar do Grupo B. Meio-campo de sonho e o Luis Díaz de sempre decidem.

A virtude esteve no meio. A expressão raramente fez tanto sentido ao ser aplicada num jogo de futebol como na noite de ontem na Invicta. O meio-campo portista deu um recital de trabalho, qualidade e gestão do espaço e do tempo para lançar o resto da equipa para um triunfo sobre o AC Milan que podia perfeitamente ter sido escrito com números bem mais dilatados. Depois do empate em Madrid e da goleada sofrida em casa frente ao_Liverpool, a equipa de Sérgio Conceição conseguiu a primeira vitória na Champions 2021/22 e igualou, com quatro pontos, o Atlético no segundo lugar. A meio da fase de grupos, o apuramento para os oitavos de final é bem mais que um sonho: é um objetivo real e que está perfeitamente ao alcance dos dragões.

Frente a um colosso europeu que se tenta reerguer e recuperar a glória da década de 1990, foi o_F._C. Porto que se reencontrou com as grandes noites europeias e os números (que não os do resultado final), dizem tudo. Foram 19 remates da equipa portuguesa contra apenas quatro da equipa italiana, três dos quais para lá do minuto 90, 7-1 em pontapés de canto e uma goleada em oportunidades de golo. A começar pela melhor de todas, logo aos cinco minutos. Luis Díaz escreveu, protagonizou e realizou um contra-ataque que acabou com a bola a embater com estrondo na base do poste da baliza milanesa.

A melhor casa da temporada no Dragão - 32 130 espectadores -, começava a rugir e a temperatura só não atingiu níveis infernais porque Taremi não estava nos seus dias. Na primeira meia hora de jogo, o iraniano teve quatro oportunidades de ouro para abrir o marcador, mas a falta de pontaria e a muralha defensiva italiana impediram a festa.

Díaz passa a bola à baliza

O intervalo não chegaria sem Otávio estar perto do sucesso por duas vezes e a segunda parte abriu com um filme repetido da primeira. Taremi, em excelente posição, atirou ao lado, Otávio fez tiro ao alvo à defesa italiana e Uribe não teve melhor sorte. Os adeptos acreditavam que era uma questão de tempo e o_Dragão rugiu ao minuto 65. Mérito do trabalho de João Mário na direita e do esforço de Taremi em segurar a bola para Luis Díaz a "passar", com classe, à baliza. Estava feito o golo e garantida a vitória que torna os oitavos bem mais reais.

Sinal Mais

PUB

Uribe, Oliveira, Otávio, Luis Díaz e, depois,_Vitinha. Os médios portistas brilharam a grande altura. Kjaer e Leão foram os melhores do Milan.

Sinal Menos

Numa noite normal, Taremi teria festejado um ou dois golos, mas o iraniano não teve pontaria. Evanilson apagado e Milan sem grande ambição.

Árbitro
Dúvidas num lance em que Corona parece ser carregado, na área e também antes do golo portista.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG