Futebol

Dragão em poupança marca passo em Oeiras

Dragão em poupança marca passo em Oeiras

F. C. Porto dominou jogo marcado pela lesão de Nanu, mas mostrou pouca lucidez e pode ficar a seis pontos do Sporting. Evanilson marcou mas estava fora de jogo por oito centímetros.

O F. C. Porto empatou diante do Belenenses (0-0) e corre o risco de ficar mais longe do topo da classificação caso o Sporting vença o Marítimo, na Madeira, esta sexta-feira. Numa deslocação tradicionalmente difícil - só venceu uma vez nas últimas cinco épocas na Liga -, o campeão nacional dominou e apresentou maior volume de jogo ofensivo, mas raramente revelou clarividência para desequilibrar a defesa contrária. E, na melhor ocasião de golo, encontrou um soberbo Kritciuk, que negou o sucesso a Taremi.

O calendário quase caótico dos portistas levou Sérgio Conceição a fazer poupanças - Marega, Corona e Luis Díaz -, num risco compreensível, mas sentido pela equipa durante a primeira hora e que influenciou o resultado final. O relvado, em mau estado, também condicionou o futebol mais técnico dos dragões.

O Belenenses foi solidário e rigoroso no plano defensivo - é a segunda defesa menos batida da Liga - e atacou quando o oponente deixou. Miguel Cardoso também podia ter escrito outra narrativa, mas Marchesín revelou sangue frio e competência. O jogo ficou muito marcado pelo choque de Kritciuk e Nanu, num lance controverso dentro da área e que gerou enorme apreensão face à gravidade da lesão do portista, que abandonou o relvado de ambulância, após ter caído inanimado.

Seduzidos pelo jogo direto

PUB

Num relvado em más condições a luta tornou-se intensa e o recurso ao jogo direto seduziu os azuis e brancos. Só que a opção não os favoreceu e permitiu ao Belenenses SAD respirar melhor. Com Fábio Veira a assumir o jogo, os dragões voltaram a dominar e a estar mais perto da baliza de Kritciuk. Evanilson festejou, mas estava em fora de jogo, por apenas oito centímetros.

Na segunda parte, o F. C. Porto manteve o domínio, mas sem lucidez na ligação ofensiva. Sérgio Conceição lançou Díaz, numa fase já de maior agitação, Corona e Marega. Os dragões acercaram-se da área, mas já com pouco critério e o esforço foi insuficiente. O infeliz incidente do final deixou a equipa portista reduzida a dez, pois o técnico acabou por não fazer a quinta substituição.

POSITIVO: Fábio Vieira deu luz ao ataque e trabalho a Kritciuk, que brilhou ao travar o cabeceamento de Taremi. Nanu agitou a ala direita, sobretudo na segunda parte. O trio de centrais dos azuis esteve exemplar.

NEGATIVO: Pepe e Marchesín desentenderam-se num lance em que quase "ofereceram" um golo. Miguel Cardozo esteve muito em jogo, mas paralisou e pareceu tremer no momento de enfrentar o keeper argentino.

ÁRBITRO: Perdoou o segundo amarelo a Yaya, que derrubou Uribe. E entendeu que o "choque" entre Nanu e Kritciuk foi legal, num lance complicado e de interpretação complexa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG