Liga dos Campeões

Dragão volta a mostrar a melhor face europeia

Dragão volta a mostrar a melhor face europeia

Sérgio Conceição poupou vários titulares, mas o F. C. Porto foi consistente ​​​​​​​e ganhou na capital grega ao Olympiacos. Otávio e Uribe marcaram os golos.

Correu tudo bem aos dragões no fecho da fase de grupos. A quarta vitória em seis jogos, cinco dos quais sem sofrer golos, foi obtida num jogo em que Sérgio Conceição aproveitou a oportunidade para dar descanso a oito habituais titulares (Mbemba, Zaidu e Otávio foram os "sobreviventes" do onze que tinha iniciado a partida com o Tondela) e que valeu mais 2,7 milhões de euros aos cofres da SAD. O Olympiacos deixou fugir os pontos, mas a derrota do Marselha com o Manchester City garantiu à equipa de Pedro Martins a continuidade na UEFA, neste caso na Liga Europa.

Esperava-se que Conceição gerisse o plantel portista nesta viagem a Atenas e o técnico não fez a coisa por menos: Marchesín, Manafá, Sarr, Uribe, Tecatito Corona, Marega e Luis Díaz sentaram-se no banco, enquanto Sérgio Oliveira, que estava em risco de suspensão, ficou na bancada. Com Diogo Costa e Toni Martínez em estreia na Champions, e o jovem João Mário pela primeira vez titular, os portistas apresentaram-se em versão alternativa, mas não deixaram de atacar e conseguiram mesmo abrir o marcador aos 10 minutos, num penálti assinalado pelo árbitro depois de ver as imagens (Holebas jogou a bola com o braço) e convertido por Otávio.

Numa primeira parte bem controlada pelo F. C. Porto, o Olympiacos só criou perigo uma vez, aos 15 minutos, num lançamento longo para o atacante Masouras, que apareceu sozinho na cara de Diogo Costa, mas não fez melhor do que rematar por cima da barra.

Já com Fortounis e Randjelovic em campo, os gregos foram mais ameaçadores no início do segundo tempo. O avançado El Arabi teve o empate nos pés num disparo que saiu perto do poste e houve algumas jogadas bem delineadas no ataque helénico, mas a defesa portista, com Diogo Leite em excelente plano, foi resolvendo os problemas a preceito.

PUB

As entradas de Díaz e Uribe, a meio da segunda parte, deram outra vida à equipa azul e branca e foram os dois colombianos que estiveram na génese do 0-2, marcado pelo médio após jogada de classe do extremo. O Olympiacos rendeu-se, Rúben Semedo ainda foi expulso e F. C. Porto saiu da Grécia com a missão cumprida.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG