Liga dos Campeões

Dragões iniciam a "missão impossível"

Dragões iniciam a "missão impossível"

F. C. Porto joga esta noite com o Atlético de Madrid, na capital espanhola, o primeiro jogo do grupo mais difícil que alguma vez encontrou na Champions

Chamam-lhe "missão impossível" e pode mesmo não ser nenhum exagero. O F. C. Porto parte para a 25.ª participação na Liga dos Campeões, um número apenas superado por Barcelona e Real Madrid, ambos com 26, num grupo em que, pela primeira vez, só vai encontrar adversários dos chamados "big five", ou seja, representantes dos cinco principais campeonatos europeus, neste caso Atlético de Madrid, Liverpool e AC Milan.

O sorteio não foi nada meigo para os dragões, que terão de se superar para conseguirem repetir o que fizeram em três dos últimos quatro anos sob o comando de Sérgio Conceição, isto é passar aos oitavos de final da prova. Em duas dessas épocas, a equipa portista chegou mesmo aos quartos de final. O primeiro desafio é nesta quarta-feira à noite, em Madrid, diante de um Atlético que parte com aspirações a ganhar a competição, depois de na temporada passada ter conquistado a liga espanhola.

O jogo será um reencontro de Conceição com Diego Simeone, duas décadas depois de ambos, ainda como futebolistas, terem brilhado na Lazio que se sagrou campeã de Itália na época de 1999/2000. Na primeira vez em que se defrontam enquanto treinadores, o argentino e o português deixam a amizade de lado para lutarem pelos pontos na estreia no Grupo B, que se adivinha equilibrado e com pouca margem de erro.

Pelo contexto e pelos orçamentos, o F. C. Porto parte sem a responsabilidade de se apurar, embora o clube azul e branco tenha na passagem aos oitavos de final da Champions um dos objetivos prioritários de todas as épocas, também pela vertente financeira: a qualificação vale 9,5 milhões de euros. Na cotação do site "Transfermarkt", os dragões têm um valor de mercado três vezes inferior ao do Atlético (cerca de 250 milhões, contra 750 milhões) e os nomes nos plantéis têm dimensões bem diferentes à escala europeia.

Nos "colchoneros", há jogadores de topo como o regressado Griezmann, o avançado Luis Suárez, o guarda-redes Oblak, o argentino De Paul, o espanhol Koke ou o francês Lemar, todos com a cotação muito alta no mercado, sem esquecer o português João Félix, apesar de pouco utilizado neste início de temporada devido a lesão. E há ainda outros nomes bem conhecidos do universo portista, como o mexicano Herrera e o brasileiro Felipe, que se transferiram para o Atlético em 2019, depois de vários anos no Dragão.

Em Madrid, o favoritismo está todo do lado da equipa de Simeone e na imprensa espanhola não há quem aposte um cêntimo no F. C. Porto, tanto para este jogo, como para a passagem à fase seguinte, mesmo sabendo da excelente campanha feita na época passada pelos azuis e brancos, que incluiu uma inesperada eliminação da Juventus nos oitavos de final e dois embates muito equilibrados com o Chelsea nos "quartos", no caminho dos londrinos para o título europeu. Cabe à equipa de Sérgio Conceição voltar a desafiar as probabilidades e tentar de novo surpreender a Europa.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG