Luís Gonçalves

"O F. C. Porto, em nove jogos, foi prejudicado em oito penáltis"

"O F. C. Porto, em nove jogos, foi prejudicado em oito penáltis"

Dois meses depois de ter assumido o cargo de diretor geral do futebol portista, Luís Gonçalves quebrou ontem o silêncio.

Em declarações exclusivas ao JN, assumiu enorme desagrado com o prejuízo que os dragões têm tido com as arbitragens, levado ao extremo no jogo de sábado no Bonfim, quando o árbitro João Pinheiro não assinalou um penálti sobre Otávio, a cinco minutos do fim, transformando-o num amarelo ao brasileiro, por simulação.

"Foi um erro grave, conforme os especialistas o definiram, de forma unânime, e o F. C. Porto tem razões de queixa mais do que suficientes para mostrar desagrado. Aquele lance é decisivo no jogo e não compreendo porque não foi assinalado", afirmou Luís Gonçalves, alargando o leque das críticas às jornadas anteriores: "O F. C. Porto, em nove jogos, foi prejudicado em oito penáltis. São penáltis a mais para uma equipa só. Parece que os árbitros, quando vão apitar os nossos jogos, já estão condicionados a não marcar penáltis a nosso favor. Começa a ser um problema complicado. Os jogadores sentem que as decisões não têm sido corretas e os nossos associados também. Não estamos a ser tratados como deve ser e é hora de dizer chega!".

O homem forte do futebol portista negou que tenha escolhido a semana que antecede o clássico com o Benfica para tornar públicas estas críticas, mas admitiu que os dois pontos perdidos em Setúbal foram muito importantes. "Demos o tempo necessário para que os árbitros possam atuar livremente, mas chega uma altura em que o copo está cheio. Este foi um momento muito importante e decisivo. Ganhando ao Benfica, o F. C. Porto estaria em posição de chegar ao primeiro lugar. Essa é a grande diferença. Esta decisão pode ter condicionado o catapultar da equipa para aquilo que merece e pelo que tem lutado", disse, sem se deter no tom crítico.

"Queremos que haja cuidado com as nomeações. Há muitos jovens árbitros, alguns com valor, mas, como se costuma dizer, quando vamos para uma operação, queremos ser operados por alguém com provas dadas. A maior parte dos árbitros são inexperientes. Eles têm de perceber que marcar penáltis a favor do F. C. Porto não os diminui. Não têm de ter medo de os assinalar. Se são penáltis e são claros, têm de os marcar. Ou só têm dúvidas quando apitam o F. C. Porto? Essa é a minha dúvida, que espero ver esclarecida sem demorar muito tempo", referiu, mostrando-se incapaz de explicar a razão desse eventual medo.

Otimista para o clássico

"Só sou capaz de dizer que eles têm errado e neste jogo foi um erro crucial. Se há outros jogos em que houve penáltis que podem não ter tido influência porque ganhámos com alguma diferença, neste teve claramente influência no resultado. O F. C. Porto não pode continuar a ser prejudicado desta forma", acrescentou, antes de deixar fortes elogios ao plantel e uma mensagem de otimismo para o duelo de domingo com o Benfica

"Acreditamos que podemos ganhar e que o vamos conseguir. Este grupo de jogadores é fantástico e extremamente unido. É muito saudável ver os treinos do F. C. Porto e o ambiente que se vive no interior, como eles sofrem quando perdem e como sentem a alegria da vitória e o apoio dos sócios. Eles sabem que são capazes, mas também percebem quando são prejudicados em momentos cruciais. Eles veem os outros jogos e sabem o que passa", sublinhou, desejando que o árbitro do clássico "passe despercebido" no Dragão.