Benfica - Arouca

Encarnados já jogam com a lei de Yaremchuk

Encarnados já jogam com a lei de Yaremchuk

Ucraniano desbloqueia caminho do triunfo com assistência e um golo, após forçar a expulsão do guardião Victor Braga, que cometeu um erro incrível

Pode não conhecer as movimentações, as rotinas da equipa e viver ainda a pré-época, como diz Jorge Jesus, mas Roman Yaremchuk revelou-se decisivo e já dita a lei no ataque das águias. O ucraniano desbloqueou a vitória sobre o Arouca numa fuga e assistência para Waldschmidt, marcou o segundo golo e, já antes, aproveitara um erro de Victor Braga para sentenciar a expulsão do guarda-redes.

Em 82 minutos em campo - fez 25 contra o Spartak -, o avançado "marcou" pela segunda vez e está a conceder uma imagem de enorme influência. A ideia da titularidade absoluta - Jorge Jesus retirou-o de campo junto a João Mário e a Pizzi - é uma questão de tempo, quem sabe mesmo se já não diante do PSV, que se estreou com uma vitória (2-0) na Liga dos Países Baixos. O Arouca mostrou rigor defensivo. No entanto, a exibição ficou condicionada pela expulsão, logo aos oito minutos, que aniquilou as hipóteses da equipa.

No regresso dos adeptos à Luz no campeonato, Jorge Jesus conservou apenas quatro titulares do último jogo. A equipa assumiu a iniciativa e ficou rapidamente em vantagem numérica devido ao erro de Victor Braga. Iludido pelo sinal do assistente - que levantou a bandeira sugerindo a existência de um fora de jogo -, o guardião lançou a bola para marcar a alegada falta, só que sem a indicação de Manuel Mota, e depois foi forçado a jogar com a mão fora da área para travar Yaremchuk.

O livre que se seguiu deu aos adeptos os únicos momentos de verdadeira tensão neste período, já que Waldschmidt e Everton acertaram nos postes. Com menos um, o Arouca manteve o rigor defensivo e susteve o adversário. O Benfica sentiu dificuldade nas ligações atacantes e só desbloqueou o cenário num contra-ataque. Yaremchuk ofereceu o golo a Waldschmidt, ampliou a diferença e deixou a águia a pensar na Champions.

Na segunda parte, Jorge Jesus protegeu os trunfos mais influentes e deixou a equipa gerir, mas num registo de alguma rebelião e muitas oportunidades perdidas. André Almeida voltou após longa paragem.

Veja o resumo do jogo:

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG