Conteúdo PatrocinadoRali de Portugal

Armindo Araújo foi o melhor português no regresso ao rali que venceu em 2006

Armindo Araújo foi o melhor português no regresso ao rali que venceu em 2006
Produzido por:

Armindo Araújo (Hyundai i20 R5) foi o melhor português na edição de 2018 do Rali de Portugal, ao terminar, este domingo, a sexta prova do Mundial no 14.º lugar, a 22.35,3 minutos do vencedor, o belga Thierry Neuville (Hyundai i20).

O último piloto luso a vencer o Rali de Portugal, em 2006, quando se sagrou tetracampeão nacional de ralis, assumiu-se "muito satisfeito" com este resultado.

"Foi ótimo, foi um Rali de Portugal que nos correu na perfeição", disse o campeão mundial de produção em 2009, na chegada à Exponor, em Matosinhos.

"Estou feliz por ser o melhor português, era o segundo objetivo que tinha para este rali", disse Armindo Araújo, lembrando que "a prioridade era a vitória para o campeonato nacional", conseguida no sábado, e para o qual contavam apenas as 12 primeiras classificativas.

"Atacámos quando tínhamos de atacar e defendemos quando era preciso defender", sintetizou Armindo Araújo, sem esconder a satisfação pela concretização dos objetivos definidos para a prova: "Levamos daqui o máximo de pontos para o Nacional e no Rali de Portugal fomos o melhor português".

Armindo Araújo mostrou-se ainda satisfeito pelo comportamento do Hyundai i20 R5, que considerou "um excelente aliado", apontando como próximo objetivo a preparação para a fase de asfalto que se segue no Nacional.

"Já estes próximos dias vou testar e começar a preparar a fase de asfalto para estar em condições de lutar pela vitória na próxima prova [o Rali Vidreiro, na Marinha Grande, a 8 e 9 de junho]", rematou.

O segundo melhor entre os portugueses foi Miguel Barbosa (Skoda Fabia R5), ao terminar no 17.º posto, a 25.56 minutos do vencedor.

Sem os problemas de motor que o fizeram perder mais de três minutos no sábado, o heptacampeão nacional de todo o terreno foi sempre mais rápido do que Armindo Araújo no último dia do rali, mas sem ameaçar a posição de melhor português do ex-campeão mundial de produção.

A fechar o pódio dos portugueses ficou Diogo Salvi (Skoda Fabia R5), 23º. na geral, a 46.52,1 minutos.

Depois do Rali de Portugal, segue-se a época de asfalto no Nacional, com a quinta prova, o Rali Vidreiro, na Marinha Grande, a 8 e 9 de junho.