Conteúdo PatrocinadoAutomobilismo

Rali de Portugal: Tänak manteve o ritmo para vencer em Lousada

Rali de Portugal: Tänak manteve o ritmo para vencer em Lousada
Produzido por:

O estónio Ott Tänak (Toyota Yaris) manteve o ritmo que o levou ao triunfo no Rali da Argentina, em abril, para vencer, esta quinta-feira, o primeiro troço cronometrado da 52.ª edição do Rali de Portugal, em Lousada.

Na superespecial de estreia da sexta prova do campeonato do mundo de ralis, o terceiro da classificação de pilotos superou a concorrência, ao percorrer os 3,36 quilómetros do Eurocircuito da Costilha em 2.34,3 minutos.

"Sinto que vai ser difícil dominar, não sei quanto tempo vou perder amanhã, mas vou lutar arduamente para conseguir uma boa posição no sábado, não tinha a estrada limpa, mas eu estive forte", afirmou Tänak.

O piloto da Toyota gastou menos quatro décimas de segundo do que o finlandês Teemu Suninen e do que o francês Sébastien Ogier, ambos em Ford Fiesta.

"Como tenho dito desde que cheguei, vou dar o meu melhor e parece-me que o carro está bom. Vamos ver o que podemos fazer amanhã [na sexta-feira]", afirmou Ogier, pentacampeão do mundo e líder campeonato.

Ogier, que procura o seu sexto triunfo em Portugal, vai ser o primeiro a partir nas oito provas especiais classificativas do segundo dia do rali, sendo seguido do belga Thierry Neuville (Hyundai i20), que hoje não foi além do sexto lugar, a 1,5 de Tänak, terceiro a percorrer os troços.

Na superespecial de estreia do Rali de Portugal, Neuville, segundo do Mundial, a 10 pontos de Ogier, foi batido por uma décima de segundo pelo britânico Kris Meeke (Citroën C3), vencedor da prova em 2016, e pelo norueguês Andreas Mikkelsen (Hyundai i20), que repartiram o quarto posto da classificação.

Depois de ter sido o mais rápido no 'shakedown', em Paredes, o finlandês Jari-Matti Latvala acabou por ser o azarado do dia, depois de o seu Toyota Yaris se ter desligado durante a superespecial.

"Não percebi o que aconteceu, não tenho uma explicação, foi muito estranho, vou ter de investigar. Sei que se travar muito forte o motor para, mas não foi o caso, o motor simplesmente parou. Já perdemos tempo, mas o rali começa amanhã", lamentou o vencedor da edição de 2015 do Rali de Portugal, que terminou o troço com o 13.º tempo e cedeu 3,9 segundos para Tänak.

Joaquim Alves (Skoda Fabia R5) foi o português mais rápido no arranque do Rali de Portugal, a 10,3 segundos do vencedor.

Na sexta-feira, a 52.ª edição do Rali de Portugal prossegue com oito classificativas, no Alto Minho, onde os pilotos vão percorrer duas vezes os troços cronometrados de Viana do Castelo (26,73 km), Caminha (18,11 km) e Ponte de Lima (27,54 km), antes da 'Porto Street Stage' (1,95 km), ao início da noite.

ver mais vídeos