Teste de produto

Garmin com música, eis o Forerunner 645 Music

Quando se fala de dispositivos de monitorização GPS de corrida, a Garmin é uma das marcas mais consensuais e procuradas no mercado. A grande novidade no 645 Music é o facto de ser o primeiro relógio da Garmin a possibilitar a escuta de música (há a versão sem leitor mp3).

Não é inovador, uma vez que outras marcas já o fazem há algum tempo. Convém separar o trigo do joio. Há relógios GPS específicos para atividade e monitorização física, que a Garmin sempre encarou como sendo o seu real posicionamento, e depois há os smartwatch que pretendem ser tudo e mais alguma coisa. No caso do 645 Music, a Garmin apresenta um smartwatch completo. Os relógios Garmin da série forerunner sempre foram muito apreciados pelo grau de precisão nas distâncias. A longa autonomia também é um fator relevante para os utilizadores.

Primeiras impressões ao abrir a caixa:

- O peso. É surpreendentemente leve. Longe vão os tempos em que os relógios GPS eram halteres no pulso.

- Não traz auscultadores. Para um relógio com a possibilidade de ouvir música, e ao preço a que é comercializado, deveria ter. Por poucos euros há opções generosas de auscultadores bluetooth no mercado, pelo que esta opção da Garmin acaba por não ser muito compreensível.

- O controlo e navegação do relógio é feito só com os botões. O ecrã não é tátil, o que para os utilizadores intensivos de desporto é uma mais valia, porque suor e touch não combinam.

O ecrã não é OLED, mas isso não é necessariamente mau, uma vez que o consumo de bateria seria imensamente superior se assim fosse.

A automonia prevista de fábrica é de sete dias de bateria em modo smartwatch (notificações, alarmes, etc) e de cinco horas em modo GPS com música.

No nosso teste, com treinos diários de corrida em estrada, trail, elítica, bicicleta estática e treino funcional (HiiT), durou um total de cinco dias, o que é francamente muito positivo.

Já sobre a componente musical do relógio há algumas questões a apontar. Os serviços de streaming com parceria com a Garmin não funcionam em Portugal. Não, não é possível ouvir música através do Spotify com o relógio, mesmo com o emparelhamento correto e com música a tocar no Spotify no telemóvel, o relógio não sincroniza. Isto é claramente um problema a resolver num futuro próximo, uma vez que em Portugal o Spotify é líder no serviço de streaming de música. A única forma que encontrámos para conseguir ouvir música durante os testes foi através da sincronização de playlist do iTunes com o relógio. O relógio tem a capacidade para armazenar até 500 músicas.

Enquanto smartwatch, as notificações funcionam como esperado. A interação de respostas é limitada (podemos atender chamadas, mas o som vai para o telefone), mas talvez seja melhorada com atualização de firmware.

Em termos de monitorização desportiva, a Garmin está como peixe na água. A informação que o relógio oferece é muita e satisfaz o atleta amador bem como o experiente/profissional.

Temos um GPS/Glonass que permite ler a passada ao segundo, estatística de treino aeróbico e anaeróbico, estatística de VO2 máximo, momentos de intensidade na corrida medidos em níveis de esforço, gráfico de altimetria com cruzamento de ritmo cardíaco.

A partir do momento em que se começa a navegar no Garmin Connect e a ler dados das corridas é amor à primeira vista.

Em conclusão:

O Garmin Forerunner 645 Music é um relógio sólido que serve o propósito de smartwatch sem descurar minimamente os dados de treino. O streaming de áudio com o Spotify é um ponto negativo, mas é algo que depende de parcerias e poderá ser facilmente resolvido com um update de firmware. Ao início o preço assusta, mas é uma paixão que cresce de treino para treino.

PVP recomendado: 449,99€