Premium

As sanções mais bizarras do futebol: a tourada, a campainha e a tampa de sanita

As sanções mais bizarras do futebol: a tourada, a campainha e a tampa de sanita

Ele há multas por tudo e por nada! Desafio: apresentar, nesta página, os casos mais bizarros, sancionados nas primeiras sete jornadas do campeonato de futebol. Das condições do relvado, aos apanha-bolas em número insuficiente ou que demoram demasiado tempo na missão de ajudar a repor o esférico em jogo, nada escapa, sobretudo aos delegados da Liga, dado que nos relatórios dos árbitros costumam vir os casos mais comuns, com destaque para os cartões amarelos e vermelhos exibidos. Se, decorridas sete rondas da prova, já é possível contar um leque tão variado de ocorrências, imagine-se quando a competição estiver numa fase mais avançada...

Campainha a tocar - 612 euros

Na 1.ª jornada, o Vitória de Setúbal, treinado por Lito Vidigal, recebeu o Aves e foi multado por se ter apresentado tarde para o reatamento do jogo. Se os atrasos são recorrentes e na maior parte dos casos nem sequer são justificados, o argumento utilizado pelos sadinos foi inusitado: o clube informou que não ouviu a campanhia do balneário do árbitro, apesar das chamadas de atenção do delegado da Liga.

Imobusiness