Premium

Bruno de Carvalho: "O Jorge Jesus acabou por ser um erro maior"

Bruno de Carvalho: "O Jorge Jesus acabou por ser um erro maior"

Bruno de Carvalho fala sobre presidência "Sem filtro".

Que objetivo procura alcançar com a publicação deste livro?
Sempre disse que quando saísse do Sporting iria fazer um livro sobre a minha presidência. Pretendo dar a conhecer, aos sportinguistas e aos adeptos de todos os clubes, o que é ser presidente no futebol. Não tenho outro objetivo.

Teme vir a ser processado por escrever um livro "Sem filtro"?
Estou absolutamente descansado. Com o sucesso que está a ter, penso estar alcançado o objetivo de as pessoas terem um bocadinho mais de conhecimento deste mundo onde vivi, do trabalho que fiz, das coisas hilariantes que passei e das coisas mais graves.

O Sporting fica prejudicado?
Não. Ninguém sai prejudicado com este livro. É um conjunto de histórias sobre o Sporting. Apenas vai enriquecer.

Dos três treinadores com quem trabalhou, o único que não merece crítica é Leonardo Jardim.
O Leonardo é muito assertivo no trabalho. E fora do trabalho é um indivíduo com uma maneira de ser e estar que me agrada muito. Como diria a Cesária Évora, "Saudade, saudade...". Foi o que deixou. Com uma equipa quase toda da formação, ficámos no segundo lugar, apurados diretamente para a Champions, vindos da pior época de sempre da história do clube.

Qual foi o maior erro: Marco Silva ou Jorge Jesus?
Os dois foram um grande erro. O Jorge acaba por ser um erro maior pelos números...

Do salário e das contratações...
Sim. Infelizmente, foram os dois um erro nos objetivos desportivos. Ao Jorge Jesus foram dadas todas as condições possíveis e imaginárias. Associado ao salário, acabou por ser um erro muito grande.