O Jogo ao Vivo

Correr pelos outros

Corridas Solidárias para construir um lar para deficientes

Corridas Solidárias para construir um lar para deficientes

Ricardo Bastos corre porque gosta, acima de tudo, dos outros. No ano passado angariou 12 mil euros para Moçambique. Este ano quer juntar mais para um lar para deficientes.

Depois de, no ano passado, ter conseguido angariar 12 mil euros para construir um bairro em Chibuto, Moçambique, o maratonista Ricardo Bastos, 52 anos, vai doar os quilómetros que correr em 2018, convertidos em euros, à Casa Ozanam, em S. João de Ver, Santa Maria da Feira. O objetivo é construir de raiz um lar para deficientes.

O oliveirense, que aos seus quilómetros junta as contribuições de amigos, tem já planeadas duas provas - as mesmas do ano anterior - para a iniciativa Corridas Solidárias. A corrida entre Oliveira de Azeméis e Fátima, nos dias 26 e 27 de maio, à qual já aderiram cinco amigos, e as 24 Horas a Correr de Vale de Cambra, em setembro.

"A Casa Ozanam tem já Centro de Dia Para Deficientes. Mas está a enfrentar um problema: os pais destes utentes estão a morrer e eles ficam ao deus-dará. Alguns têm familiares, outros não têm esse apoio", explica Ricardo Bastos.

O lar, para o qual já existe uma candidatura a fundos comunitários, será construído com a ajuda dos Vicentinos. "Sinto que há mais pessoas a envolver-se na iniciativa, aliás um colega meu, o Porfírio Silva, conseguiu que a empresa dele se juntasse à causa, doando três euros por cada quilómetro que correr", conclui.

Ricardo espera agora bater o valor do ano passado.

ver mais vídeos